Análises

Dandara – Review

Um jogo incrivelmente lindo que conta uma bela historia

Visualizações
Married Games

Primeiramente, o jogo inicia com o acordar de Dandara e depois disso a aventura já se inicia, sem explicações sobre o que acontece a seu redor (pelo menos no inicio da historia) A historia é contada por legentas pequenas, ao canto da tela que vão dando contexto, além de interações com personagens que aparecem em seu caminho.

O jogo friza que “as ações de Dandara não serão esquecidas” e isso é uma grande verdade, em relação ao que o jogador faz durante as fases enquanto o jogo vai salvando seu progresso vai sendo salvo confome o jogador avança

O jogo conversa com o jogador de varias formas, desde a conversa padrão com os NPCS, até o cenário que vão desenhando uma linha de entendimento ao jogador que tem sua própria interpretação deste mundo, utilizando nomes que são referentes ao passado de Dandara com pequenas frases.

Seu trabalho como jogador é montar esse quebra cabeça da forma que lhe parecer melhor e que faça mais sentido.

Pulos, muitos pulos e tiros, muitos tiros

A jogabilidade do game é muito diferente do padrão. Dandara não pode andar, ela apenas se locomove a partir de saltos. Isso parece bem estranho no inicio, mas combina muito com os cenários que envolvem saltar nas paredes, chão e até o teto. Não é justificado o motivo desta movimentação, mas adiciona um charme único ao titulo.

Sendo um ótimo representante dos Metroidvanias. A movimentação especial já gera uma atenção ao titulo. Alem disso o jogo promove combates únicos com o fato de que a protagonista pode atirar raios pelas mãos, como uma energia carregada e os utiliza para derrotar seus inimigos. O jogador tem que ser sagaz e aprender quando vale atirar e quando tem que se mover em um combate.

A movimentação é a chave para o sucesso, pois o jogo é punitivo para quem não leva a sério o timing exato, e isso pode ser frustrante. Na verdade, a frustração é acompanhada de um senso de vitória quando conseguimos derrotar nossos obstáculos no game, o que não torna o jogo desrespeitoso com quem tenta, mas, ainda assim, é um game que vai demorar para te fazer se acostumar com esta movimentação cheia de pulos.

No quesito de movimentação só houve uma coisa que me incomodou um pouco (Não é algo que prejudica a obra, mas me fez um pouco de falta) que é o personagem não aparecer no mapa e isso prejudica bastante na localização quando queremos ir a algum objetivo, mas com o tempo você se acostuma e aventura flui.

Ta vendo essa referência?

O público brasileiro do título tem uma grande vantagem. Existem inúmeras referências históricas no jogo, a começar pela própria protagonista, que é uma das representantes negras de maior expressão da história do país.

Também, há a participação de personagens e figuras reais, representadas de forma fictícia ou fantasiosa por aqui. O exemplo mais famoso, e que você encontra logo no início do jogo, é o de Tarsila do Amaral. Há outros elementos referentes a grupos musicais, locais reais, povos e até outros nomes relacionados com programas de TV brasileiros.

A nostalgia grafica

Dandara segue de perto o exemplo de outros jogos nacionais e aposta no visual retrô, lembrando a época do Super Nintendo, mas com animações que não seriam possíveis nos anos 90. O game é todo vivo. Detalhes nos cenários, na movimentação da personagem, nos inimigos – aliás, é belo o design o de alguns chefões. É tudo muito bonito.

Por que é bom?

Enfim, Dandara integra um grande espaço nos jogos incríveis produzidos em nossas terras. Só o fato de mesclar bons elementos da nossa história com elementos de fantasia já seria motivo de destaque, porem o game tem mais mérito devido a jogabilidade inovadora e seus mundo lindíssimos. Dandara é uma aventura única e que merece sua total atenção.

Data de lançamento inicial: 6 de fevereiro de 2018

Desenvolvedor: Long Hat House

Estúdio: Raw Fury

Modo: Jogo eletrônico para um jogador

Plataformas: Nintendo Switch, PlayStation 4, Android, Xbox One, iOS, Microsoft Windows, Linux, Mac OS Classic, SteamOS

Para mais analises, clique aqui.

E para acessar a pagina oficial do jogo clique aqui.

Geral da análise

Gameplay8
Historia10
Arte10
Trilha sonora8.8
Falacomoflavio
O autorFalacomoflavio
Redator
Graduando de Marketing Digital, tentando ver as coisas sempre pelo maximo de lados o possível, colecionador de jogos antigos e novos

1 comentário

  • Review muito bacana. Comprei esse game para o Switch e foi um dinheiro muito bem investido. Gostei demais, não só pelo nostálgico visual de pixel art mas também pela mecânica distinta, que dá a esse game uma personalidade única
    Dandara foi uma grande surpresa pra mim. Adorei

Deixe uma resposta