Funcionários da Blizzard recebem apoio da Ubisoft

Trabalhadores da Ubisoft apoiam os funcionários da Blizzard em sua luta contra o tratamento dado as funcionárias na empresa

Funcionários da blizzard recebem apoio da ubisoft | blizzard kv | married games notícias | activion, blizzard, ubisoft | funcionários da blizzard

À medida que mais e mais detalhes vêm à tona sobre o processo na Califórnia contra a Activision Blizzard por assédio no local de trabalho e má conduta sexual, muitos na Ubisoft estão se solidarizando com seus colegas em uma carta aberta exigindo responsabilização. Em uma carta aberta, ex-integrante da Ubisoft está organizando esforços para apoiar os funcionários da Activision Blizzard, criticando como a empresa está lidando com a má conduta sexual, tanto na Ubisoft quanto na Activision Blizzard.

Os organizadores dizem que as assinaturas incluem muitos estúdios na Ásia, Europa e América do Norte, bem como um pedido de responsabilidade da liderança, incluindo a exigência de responsabilidade do CEO da Ubisoft, Yves Guillemot. “Não deveria mais ser surpresa para ninguém: funcionários, executivos, jornalistas ou fãs que esses atos hediondos estão acontecendo”, diz uma parte da carta obtida pela Axios. ” É hora de parar de chocar. Devemos exigir que sejam tomadas medidas reais para evitá-los. Os responsáveis devem ser responsabilizados por suas ações.”

Greve de Funcionários da Blizzard recebe apoio

Por que o apoio da Ubisoft é tão importante? O ano de 2020 marcou uma grande mudança na indústria de jogos, especialmente aqueles que sofrem assédio moral ou sexual e abusos por parte de um superior, entre outras coisas normais em ambientes de trabalho extremamente competitivos. Depois de inúmeros relatórios sobre assédio, má conduta e abuso de poder que levaram vários executivos de alto escalão a serem demitidos da Ubisoft, as investigações sobre esses casos no estúdio continuam.

As investigações revelaram que mais de 25 por cento dos funcionários já sofreram ou testemunharam, má conduta no local de trabalho. Embora que com a demissão de executivos de alto escalão como Ashraf Ismail, Tommy François e Maxime Beland e várias funções executivas importantes tenham ficado vagas devido a essas investigações, um novo relatório mostra que muitos funcionários sentem que não foram ouvidos depois que vários gerentes denunciados por má conduta permanecem em seus cargos de liderança.

-- Publicidade --

Agora, a Activision Blizzard está sob uma investigação semelhante, e muitos em todo o setor de desenvolvimento de jogos, incluindo funcionários da Ubisoft, estão se reunindo para apoiar aqueles que estão brigando por melhores condições de trabalho.

“Nós ficamos parados e observamos enquanto você dispensava apenas a maioria dos infratores públicos”, continua a carta. “Você deixou o resto renunciar ou pior, promovê-los, movê-los de estúdio em estúdio, equipe em equipe, dando-lhes uma segunda chance após segunda chance sem repercussão. Este ciclo precisa parar.”

Funcionários da blizzard
Funcionários da Blizzard recebem apoio da Ubisoft | activion, blizzard, ubisoft | Funcionários da Blizzard

Enquanto vários nomes notáveis foram demitidos da Ubisoft após os eventos do ano passado, um novo relatório divulgado no início deste ano mostra que não muito mais foi feito e que muito dos comportamentos relatados continuam.

Com relação à Activision Blizzard, uma greve foi feito em resposta a falta de ação por parte da empresa e, após isso, uma mensagem pública para a liderança da Blizzard, vinda do CEO Bobby Kotick, que escreveu uma carta dizendo lamentava o ocorrido, e anunciou uma série de medidas para combater essa cultura e reparar os danos causados aos envolvidos.

O problema começou após um processo aberto pela Fair Employment and Housing (DFEH) da Califórnia, após a descoberta de documentos do processo que relatam uma investigação que vem acontecendo há mais de dois anos e, como relata a Bloomberg. O processo acusa o ambiente dentro da Activision Blizzard de cultivar uma atmosfera de “fraternidade”. O estúdio também está sendo chamado de “terreno fértil para o assédio e a discriminação contra as mulheres”.

-- Publicidade --

O relatório mostra os supostos incidentes que vão desde a discriminação mais casual até agressão e assédio sexual. O processo vai ao ponto de afirmar que certas ações levaram ao suicídio de um desenvolvedor após uma viagem com seu supervisor. Você pode ver mais sobre o processo aqui no site da Bloomberg.

Conte aí nos comentários o que você achou sobre esse problema na Blizzard. Leia mais notícias no nosso site.

Avatar of paulo fabris

Paulo Fabris é um jornalista, escritor, RPGista, gamer, cosplayer, nerd e fã de animes desde a época da TV Manchete.