Riot incluirá NFTs em Valorant?

Killjoy de Valorant desfrutou brevemente de um NFT, mas Riot diz que foi um só um ‘deslize’

Com a inclusão de cada vez mais jogos no mundo dos NFTs, fica a dúvida: será que a Riot incluirá NFTs em Valorant um dia? Não sabemos, mas um tuite da Riot com a personagem Killjoy apreciando uma obra de arte NFT nos deu a resposta. E ela é “definitivamente não!”

Killjoy é um dos personagens jogáveis mais amadas de Valorant, e é fácil entender o porquê: ela é um gênio, ela parece legal, é de Berlim e, em um pouco de “divulgação amigável”, é uma fã comprovada de League of Legends. Ela adora robôs, bonita e com carinha de nerd e tem uma personalidade alegre. Todo mundo, se não gosta dela, pelo menos simpatiza com a Agente Radiante (que aliás, se você quiser saber como jogar com ela, temos um guia bem aqui).

Porém tudo isso desmoronou hoje cedo para os fãs dela, quando a conta alemã do Valorant twittou uma imagem de Killjoy desfrutando de algum tempo apreciando uma arte. Nada demais, exceto pelo fato de que a arte era um trabalho de Martin Houra, que distribui seu trabalho como NFTs.

E isso significa que a Riot incluirá NFTs em Valorant?

Aqui está o tweet agora excluído, capturado por um usuário do Twitter:

Riot incluirá nfts

Embora não pareça, mas Killjoy poderia simplesmente clicar com o botão direito do mouse e salvar essa imagem – já que ela está emoldurada e pendurada na parede – a própria arte da Houra tem uma conexão indelével com o controverso mundo dos NFTs. Isso é um problema, porque Killjoy não deve ser controversa: ela deve ser adorável. Não demorou muito para que a mesma conta alemã do Valorant esclarecesse sua intenção.

“Whoopsie! Estamos sempre tentando oferecer novas experiências e fatos interessantes em nossos canais locais, incluindo uma olhada em Killjoy e sua cidade natal de Berlim”, twittou a conta. “Como Killjoy adora programar, queríamos apresentar a você a arte gerada por computador de todo o mundo. No entanto, não sabíamos que o trabalho selecionado era um NFT. De forma alguma pretendíamos incluir NFTs como parte do trabalho e hobbies de Killjoy.”

Essa simples visita de Killjoy a algumas peças de arte alertou a comunidade de Valorant sobre a possibilidade da empresa incluir NFTs em seus jogos, assim como a EA tentou fazer e a Square Enix já demonstrou interesse. No caso, a arte retratada é da série Solar de Houra, que é “uma coleção de 100 vídeos em um contrato inteligente personalizado, vivendo na blockchain Ethereum, para sempre”.

O Protocolo Valorant já está em Ação

VALORANT se passa em uma versão da Terra em um futuro próximo, após um evento conhecido como First Light. Este evento se estende por todo o globo, levando a grandes transformações na vida, na tecnologia e na forma como os governos operam. No entanto, algumas pessoas em todo o mundo começam a ganhar habilidades decorrentes deste grande evento. Esses indivíduos talentosos são chamados de Radiantes.

Em resposta ao First Light, uma organização fantasma funda o Protocolo Valorant, que reúne agentes de todo o mundo. Esses agentes consistem em radiantes e outros indivíduos equipados com a tecnologia Radiant. Devido às histórias de fundo desses personagens, a equipe VALORANT apresenta uma dinâmica interessante, já que os indivíduos não apenas às vezes se conhecem, mas também vêm de um amplo espectro de origens que vão do crime ao militar. Quem é você e como você usará seus poderes? Só você sabe essa resposta.

Com essa declaração, ficou então sem dúvidas que (até que eles mudem de ideia), a Riot não irá colocar nenhum tipo de NFT em Valorant ou em nenhum outros de seus jogos. Killjoy pode voltar a apreciar a arte dela em paz, mesmo que já tenham dito que isso não faz parte de seus hobbys. Quais serão os hobbies dela? Você sabe? Deixa aí nos comentários! Aproveite também e leia mais sobre Valorant no nosso site.

Avatar of paulo fabris

Paulo Fabris é um jornalista, escritor, RPGista, gamer, cosplayer, nerd e fã de animes desde a época da TV Manchete.