Stygian: Reign of the Old Ones – Review

Em Stygian: Reign of the Old Ones, o jogador viaja de um condenado Arkham para as profundezas do abismo. Crie seu próprio personagem com base nos arquétipos da década de 1920 e abra um caminho através de um mundo quebrado e misterioso.

Sua batalha desesperada contra forças além da compreensão o assombrará até o fim. O combate físico será desafiador, o lançamento de feitiços terá consequências terríveis e sua sanidade será forçada ao ponto de ruptura por abominações desconhecidas. Às vezes, a melhor solução será fugir do que se esconde além do limite.

O jogo é um RPG turned-base, onde temos alguns arquétipos diferenciados dos personagens e também diversos backgrounds diferentes, trazendo uma ótima variedade sobre pra onde seguir, embora, muitas delas não sejam utilizadas durante a gameplay, mas falaremos disso mais pra frente.

Confira também: Devil’s Hunt – Review

Stygian personagens
Stygian: reign of the old ones - review | pc, rpg, stygian reign of the old ones | stygian

Gameplay

A movimentação é point and click, bem básica e sem complicações. No meu caso, criei um cientista com background de pesquisador, onde tinha skills maiores em Medicina, Psicologia e Ciência, na minha gameplay, eu usei as skills em alguns momentos muito específicos, nada de muuuuito extraordinário. Os combates são extremamente bons também; as mecânicas são muito maiores do que os comuns turn-based, além de status fora de batalha também influenciar durante o combate.

Gráficos e Áudio

Sobre os gráficos, o jogo tem uma arte muito bonita, porém nada impressionante, é um pouco acima da média apenas. O áudio do jogo merece ótimos parabéns; para um jogo sem falas, o game conseguiu entregar uma ótima trilha sonora, junto com sons muito realistas de passos, armas, uivados e tudo mais que o jogo pode oferecer, realmente, um diferencial.

Stygian gráficos
Stygian: reign of the old ones - review | pc, rpg, stygian reign of the old ones | stygian

História

Bom, a história é baseada em livros do H.P. Lovecraft, então, não tem como ser ruim. A única coisa que não gostei muito em relação a história, é que cada vez em que você precisa avançar na main story, você precisa passar por hoooras de missões secundárias, fazendo com que o jogo se desvirtue do foco principal, fazendo com que você seja só um cara que resolve pepino dos outros.

Stygian
Stygian: reign of the old ones - review | pc, rpg, stygian reign of the old ones | stygian

Para quem é Stygian?

EU, não sou muito fã de jogos RPG turn-based, porém, ainda assim, o jogo me prendeu de uma maneira muito interessante em relação aos acontecimentos. O jogo tem uma temática bem dark e pesada, inclusive com mortes de animais durante o jogo; então, não jogue se tiver o coração fraco. De qualquer forma, recomendo fortemente o jogo, valeu cada minuto jogado.

Avatar of lucas votto

Estudante de Jogos Digitais e aspirante a programador. Viciado por jogos de LEGO e estratégia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site utiliza cookies, conforme explicado em nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com as condições.
Este site utiliza cookies, conforme explicado em nossa Política de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com as condições.