Como Criar Mundos de RPG – Parte 1

Criar Mundos de RPG é uma das tarefas mais divertidas e complicadas para todos que começam a jogar. Vamos dar algumas dicas para que seu mundo não seja resumido a “mágica e deuses”

Com todas as dicas que demos até agora sobre o RPG que você pode acompanhar aqui, aqui e aqui é bem provável que você já tenha um punhado de ideias de como começar a sua própria gênese de um mundo novo e fantástico que surpreenderá os jogadores com seus perigos e histórias, seus NPCs carismáticos e deuses poderosos.

Talvez os seus personagens jogadores tenham ganhado tantos poderes que se tornaram verdadeiras divindades e, cansados das lutas e guerras, resolveram abandonar seu mundo original, viajar pelo cosmos e ir criar o seu próprio mundo (hum… vamos guardar essa ideia para falar sobre isso daqui a pouco).

Talvez vocês já estejam até pensando em como publicá-lo (e hoje é bem mais fácil do que na minha época). Então, antes de correr pra uma editora, vamos falar um pouco sobre como criar mundos de RPG e alguns detalhes que podem ajudar nessa tarefa divina.

Criar mundos de rpg
Quanto espaço livre para criar mundos incríveis

Criar Mundos de RPG pode ser uma tarefa em grupo

Você e seus jogadores estão, desde o começo do jogo, criando um mundo. Acredite, pois a interferência de seus jogadores no mundo em que vocês jogam já o tornaram diferente do material original de alguma forma. Vamos supor… uma campanha em Racoon City de Resident Evil. Se os seus jogadores explodiram a delegacia da cidade, ela já não existe mais na “sua” Racoon City. Já é uma diferença. Já é um começo da criação do mundo. Se você mudar o nome dela para “Guaxinim City”, ela já se tornou um “novo mundo.”

-- Publicidade --

Por mais bobo que possa parecer, os mundos de RPG começam mais ou menos assim. Por exemplo, Tormenta começou em um mundo padrão de D&D, com os personagens dos jogadores que foram se tornando NPCs e as aventuras foram semeando as ideias para que viriam a ser as localidades mais conhecidas de Arton, como a Estátua de Valkaria e a Ponte da Cidade de Bek’ground.

Então, apenas com os acontecimentos e os personagens que vocês já criaram para o seu próprio jogo, você já teria uma base, já teria as sementes do que pode vir a ser o seu próprio mundo de RPG. Os seus jogadores podem ajudar com ideias e, quem sabe, no final vocês se tornem sócios no lançamento. Mas, antes disso, vamos dar um pouco mais de conteúdo a ele com algumas dicas.

Formato e a Posição do Mundo

Com as discussões da internet a respeito do formato da Terra, você já deve ter ouvido falar que o formato redondo (ou quase redondo) é a forma mais fácil de uma massa planetária devido a força da gravidade e por seu movimento ao redor de uma estrela. Então, vamos considerar que ao criar mundos de RPG, um planeta redondo seja o formato padrão para qualquer um por aí.

Lógico, se você quer criar mundos de RPG similares a Terra, é mais simples de conseguir isso. Só colocando alguns continentes sobre os mares em um mapa (existem vários editores de mapa na internet) e colocar algumas montanhas, florestas e cidades, dê nomes aos lugares e etá tudo pronto. Esse é o formato mais fácil. Mas, não precisa ser. E se o seu mundo for em formato de Cubo? Como um Cubo Borg de Star Trek: Nova Geração? Aquilo não é um mundo, aquilo é uma nave? Mas, e se o seu mundo fosse dentro de uma nave?

A raça alien Quarian, de Mass Effect, vivem dentro de naves que formam uma enorme frota, viajando pelo espaço procurando um novo planeta para colonizar e recursos para manter as naves funcionando. Quando eles passam perto de algum outro planeta, os habitantes logo arrumam peças velhas e naves antigas para dar para eles e torcer para que eles vão embora logo.

-- Publicidade --

As naves são consertadas e se tornam parte da frota, com centenas de quarians vivendo em casas de poucos metros, consertando peças velhas para que se tornem itens úteis a toda a tripulação. Os nomes dos quarian são dados conforme a nave que eles vivem. Toda a sociedade e cultura deles é baseada nisso. A Flotilla é o mundo deles.

Como criar mundos de rpg - parte 1 | 26dfaa8f imagem 2021 04 12 115133 | married games dicas/guias | d&d, daemon, dungeons & dragons 5° edição, dungeons and dragons, editora daemon, mass effect, mestrar rpg, mestre, multiplayer, roll20, rpg, rpg de mesa, sistema, star trek, storyteller, tormenta, tormenta d20, wizards of the coast | criar mundos de rpg
A Frota Migrante Quarian é um mundo para eles

E se as pessoas vivem dentro de naves ou dentro do planeta, como em Matrix, porque o mundo exterior é inabitável? No mundo de Matrix, com o sol coberto pro nuvens, a única forma de arrumar calor foi indo para próximo do centro da terra e lá eles criaram Zion.

Para facilitar, vamos manter o mundo redondo, mas e na superfície dele? Ele também é igual à Terra? Tem oceanos, um sol, uma lua? Júpiter tem 79 luas! Tem quanto sois? Um dos livros mais famosos de Isaac Asimov, ao “Cair da Noite”, fala de um mundo com quatro sois e a noite só acontecia a cada dois mil anos. Isso resultava em um povo que entrava em desespero e começava a destruir tudo e levava mais dois mil anos para reconstruir tudo!

Esses detalhes podem também afetar o mundo como, por exemplo, um lugar com muitos sois resultará em (provavelmente, afinal, se você não quiser, não acontece) um mundo deserto como Tatooine, que tem dois sois. Porém, e se o seu mundo for inundado de água, como em Waterworld, e todos só se movem em barcos, procurando por terra seca? Ou um mundo cheio de lava como Mustafar?

Qual é a posição do seu mundo no espaço que ele ocupa? Existem outros planetas em volta? É possível ir de um para o outro? O seu mundo pode simplesmente girar em todo de uma estrela que é a fonte de luz e calor (e não necessariamente precisa ser uma estrela amarela como a nossa. Krypton tem um sol vermelho) ou é alguma coisa mais exótica? Por exemplo, Discworld, série de livros de Terry Pratchett, o mundo deles é um mundo plano, que está sobre quatro elefantes que estão em cima tartaruga que viaja pelo espaço.

-- Publicidade --
Como criar mundos de rpg - parte 1 | 06c924eb imagem 2021 04 12 115247 | married games dicas/guias | d&d, daemon, dungeons & dragons 5° edição, dungeons and dragons, editora daemon, mass effect, mestrar rpg, mestre, multiplayer, roll20, rpg, rpg de mesa, sistema, star trek, storyteller, tormenta, tormenta d20, wizards of the coast | criar mundos de rpg
Um mundo bem… criativo

Explicar esses fenômenos, em um jogo de RPG fantástico, pode ser fácil: a magia ou os deuses. Mas, você pode ser mais criativo do que isso e conseguir pensar em formas mais criativas e até científicas do que apenas “os deuses quiseram assim”.

Só com isso você já deve ter bastante material para pensar ao criar mundos de RPG, não é? Bom, mas ainda nem começamos.

Tamanho, gravidade e densidade

Alguns detalhes a se considerar sobre o tamanho de um planeta ao criar mundos de RPG, caso você não queira explicar tudo com apenas “magia”. Se você tem um mundo muito pequeno, ele não conseguiria criar uma atmosfera em volta, devido à gravidade mais fraca, como é o caso da Lua, por exemplo. Agora, um mundo muito grande, como Júpiter, poderia colapsar e se tornar uma estrela. Então, um tamanho aproximado ao da Terra (12.742 km) está de bom tamanho para começar.

Essa questão do tamanho afeta a gravidade do lugar e isso afeta todo resto. Um mundo de baixa gravidade não conseguiria segurar a água (detalhe importante) e ela escaparia para o espaço. Sem água, sem vapor, sem atmosfera. O calculo é o seguinte:

Diâmetro (em quilômetros) x Densidade (já falo sobre isso) x 0.0000143 = gravidade (em G)

-- Publicidade --

A gravidade depende do tamanho do mundo e densidade em relação a água. A Terra tem 12.742 km, densidade de 5.5 e a gravidade de1G. E como isso afeta alguma coisa? Lembra em Dragon Ball quando o Goku, e todo mundo, resolve treinar em gravidade elevada? Então, planetas com gravidade maior geram criaturas mais fortes, como por exemplo, os Vulcanos de Star Trek, que vivem em um mundo de gravidade de 1.4G. Em geral, um humano pode sobreviver por pouco tempo em locais com gravidade de até 3G e vive normalmente entre 0,75G e 1,25G.

Como criar mundos de rpg - parte 1 | 5f5c3652 imagem 2021 04 12 115351 | married games dicas/guias | d&d, daemon, dungeons & dragons 5° edição, dungeons and dragons, editora daemon, mass effect, mestrar rpg, mestre, multiplayer, roll20, rpg, rpg de mesa, sistema, star trek, storyteller, tormenta, tormenta d20, wizards of the coast | criar mundos de rpg
Existe uma razão científica para que os Guerreiros Z treinem em gravidades elevadas

Já a densidade de um planeta se baseia no material que compõem a sua massa em relação água. Mundos como Júpiter ou Saturno, que são feitos basicamente de poeira e gases, tem uma densidade muito baixa (alguma coisa entre 0.6 e 2.5). Mundos com densidade mais alta, são compostos por altas quantidades de metal tem uma densidade muito maior. Em geral, um mundo ideal tem mais rocha do que metal e tem densidade entre 3 e 7. Então, pense nesse detalhe caso queira humanos fortões como a galera de World of Warcraft.

Tudo isso afeta a atmosfera do seu mundo. Ela é composta por 78% de nitrogênio, 21% de oxigênio e 1% de argônio e outros gases. Até onde sabemos hoje, o oxigênio só existem em planetas com vida (um termo relativo em RPG, mas vamos chegar lá), pois ele é gerado através da troca de oxigênio e gá carbônico com as plantas.

Em relação a densidade do mundo, se o seu mundo tem baixa pressão atmosférica, os humanos precisariam viver dentro de trajes especiais. Se ela for muito alta, todos morreriam esmagados. Então, cuidado na hora de pesar a mão em seus mundos,

Água

Como eu disse, “vida” é relativo em RPG, mas, se vamos pensar na vida como conhecemos hoje ela depende da água. Para sustentar a vida, um mundo precisa ter (ou já teve) água em estado líquido! Isso depende de alguns fatores como a gravidade do seu planeta (pois sem ela a água vai embora para o espaço) e a distância dele para o sol (se for muito perto a água evapora, muito longe ela congela).

-- Publicidade --

Claro, é possível viver em um mundo sem água? Sim, mas com muitas restrições e dificuldades. Por exemplo, o Planeta Arrakis, da série de livros Duna de Frank Herbert. Lá, sem água, os humanos usam trajes especiais que purificam todo o tipo de água produzida pelo corpo e a reciclam. Mundo com muita água, como em Waterworld, também podem ser problemáticos para se sobreviver. Na hora de criar mundos de RPG, a água pode ser um recurso escasso e valioso ou um grande problema para todos. Independente disso, você precisa dela.

Como se um planeta inteiramente congelado não fosse problema suficiente

Flora e Fauna

Bom, outro ingrediente importantíssimo para a vida do jeito que conhecemos é uma coisa chamada oxigênio. Com ele temos atmosfera, temos ar e podemos respirar. Agora, se a sua raça não respira oxigênio ou coisa assim, aí é com você. Mas, assumindo que ao criar mundos de RPG você queria fazer algo simples para não ter que explicar como os seus personagens respiram enxofre, então, vamos nos manter a necessidade de ar!

Para termos ar, precisamos de plantas. Elas que farão aquela troca saudável de oxigênio e gás carbônico e permitiram que os humanos respirem. Você pode ter uma grande área florestal ou as plantas podem não estar tão visíveis e obvias como as microscópicas algas que existem em toda a superfície do oceano e são responsáveis pela maioria do oxigênio que respiramos.

Talvez o seu mundo tenha dizimado praticamente toda a vida vegetal e os humanos precisem viver com roupas especiais para respirar ou vivam dentro de alguma redoma de vidro com cidades produzindo oxigênio de alguma forma artificial e precisam buscar algum jeito de reverter isso. Algo similar acontece no mundo de “Loráx – Em Busca da Trufula Perdida”. O mundo deles não tem mais árvores e todo oxigênio é produzido por uma única empresa. Você pode ter um mundo com muito oxigênio, o que prejudicaria os metais, por exemplo, aumentando demais a oxidação deles, forçando os humanos a usar itens de pedra ou madeira.

Agora, planejar toda uma biosfera não seria fácil, então, vamos começar com duas espécies mais simples: Uma espécie dominante e outros animais. Acha difícil pensar em todo um planeta com só duas espécies? Então que tal Arrakis de Duna? Você tem os humanos, os Fremans, e os vermes da areia, os Sandworms, e mesmo assim, o lugar é de suma importância a todo o universo por ser o local de onde se produz o tempero.

-- Publicidade --
Um mundo, duas raças, muitas aventuras

Para não ficar uma coisa tão extrema, vamos pensar um pouco mais em outras espécies que possam habitar o seu mundo. Vamos imaginar que os humanos (depois você coloca outras raças, como elfos e anões, mas, vamos começar com os humanos) que, por exemplo, vieram de outro mundo, ou surgiram ali pela vontade dos deuses, ou evoluíram a partir de alguma coisa, você escolhe! O importante é ter uma espécie dominante e uns dois tipos de animais. Pra começar.

Pense em um animal mais domesticável, talvez algum tipo de vacas ou porcos, alguma coisa que viva ali junto dos humanos e possa fornecer alguma coisa como alimento ou materiais. Pode ser uma montaria. Algo que faça companhia aos humanos. E também acrescente algum perigo, algo que cause problemas aos humanos ocasionalmente, como lobos ou alguma coisa similar. Pode ser que ele seja um carnívoro que se alimenta dos animais domesticados.

Para começar, pode ser pouco, mas já é algo como, por exemplo, o planeta Hoth, de Star Wars – O Império Contra-Ataca, tinha os Tauntauns, repteis que eram usados como montarias, e os Wampas, predadores similares a um “abominável homem das neves”, e os humanos da base da Aliança Rebelde que se instalaram lá e domesticaram os tauntauns. Você pode criar mundos de RPG com essa configuração básica e ai ir evoluindo toda a sua biosfera.

Só pegar o seu livro de monstros e encher o seu mundo de criaturas, sempre lembrando que elas tem que obedecer algum tipo de “cadeia alimentar” para não gerar situações constrangedoras na sua mesa de jogo. Quer dizer, imagine você colocando em uma sala dentro de uma masmorra uma aranha gigante e alguns goblins. Todos ali esperando os heróis entrarem para lutar e surge a dúvida:

“- Por que a aranha não atacou os goblins?”

-- Publicidade --

Quer dizer, imagina o quanto de tempo aquela masmorra está abandonada e a aranha simplesmente não atacou os goblins para poder comer? Fica meio estranho. Agora, coloque isso no mundo e pense: Por que uma pantera deslocadora não ataca os javalis selvagens que existem por ali? Bom, a resposta é: Provavelmente ela ataca e os usa como alimentos.

Como criar mundos de rpg - parte 1 | 83a7699d imagem 2021 05 05 160224 | married games dicas/guias | d&d, daemon, dungeons & dragons 5° edição, dungeons and dragons, editora daemon, mass effect, mestrar rpg, mestre, multiplayer, roll20, rpg, rpg de mesa, sistema, star trek, storyteller, tormenta, tormenta d20, wizards of the coast | criar mundos de rpg
Presas ou predadores nunca se atacam, eles só querem atacar você

Então, pense que, na hora de criar mundos de RPG e colocar os animais nele, eles tem que ter uma ordem lógica. Coloque algumas presas em uma região e, no máximo, um ou dois predadores. Uma região sem predadores poderia se tornar um problema com a superpopulação de animais, como por exemplo, o problema causado pelos hipopótamos levados para a Colômbia por Pablo Escobar.

Importados para o zoológico particular do narcotraficante, eles cresciam e se reproduziam livres de qualquer tipo de predador, sem nenhum problema, até que ele morreu e ninguém tomou conta dos animais. Então, eles continuaram a se multiplicar, comer o pasto disponível em abundância e arrebentaram a cerca que delimitavam o terreno da casa de Escobar. Agora, sem saber o que fazer com eles, o governo colombiano estuda matá-los!

Eles são agressivos e não compensa uma tentativa de castrá-los. Mandá-los para seu habitat seria um problema e um custo enorme. Alguns moradores da região já pensaram até em comê-los, mas a carne deles não é própria para o consumo humano. Ou seja, um problemão que é causado por uma região sem predadores de uma única espécie. E essa não é a primeira vez que isso acontece.

Agora uma região cheia de predadores ficaria vazia em breve, pois os predadores teriam de migrar para caçar em novas regiões. E essas novas regiões poderiam ser as aldeias humanas em volta. Imagine que eles atacarão fazendas ou cidades, atacar os aventureiros que passam por perto ou qualquer um que estiver por ali. Olha uma ideia de aventura nascendo. Caçadores de uma vila acabaram os herbívoros de uma região e agora os carnívoros atacam as cidades. Heróis terão que resolver isso de alguma forma! Seja acabando com os predadores ou ensinado aos caçadores da região que eles não podem caçar de forma exagerada.

-- Publicidade --

Uma região só com herbívoros e poucos carnívoros seria chata para colocar os jogadores se aventurando por lá? De forma alguma! Vamos voltar aos hipopótamos novamente! Com quase três toneladas e uma mordida de quase 130 quilos, esses herbívoros são os responsáveis pela morte de mais de 500 pessoas por ano na África! Não sei vocês, mas eu acho que uma região repleta de bichos desse seria um lugar onde eu realmente não gostaria de estar.

Fora que, se vamos pensar em monstros fantásticos de RPG, pense se um jogador quereria enfrentar um bioma repleto de Monstros da Ferrugem! Então, na hora de criar mundos de RPG, pense em um equilíbrio de predadores e presas.

Relevo e Clima

Se há oceanos, quais são os outros tipos de ambientes que existem no seu mundo? Montanha, florestas, desertos? Esses locais estão espalhados por todo o mundo, como aqui na Terra? Ou tem coisas diferentes como um mar de lava ou uma enorme torre vertical feita de uma montanha que se desgastou com o tempo? Um rio de ácido que sustenta toda uma cidade feita de cristal, como em A História sem Fim 2? “Lugar Nenhum”, da Marvel, é a cabeça decapitada de um Celestial.

Então, dá para pensar em vários detalhes para construir um terreno interessante e repleto de perigos para serem desafiados pelos jogadores. E, é claro, que esses terrenos podem afetar o clima do seu planeta ou serem afetados por ele.

Como é o clima do seu mundo? Congelante? Um inferno de fogo onde chovem meteoros todos os dias? Ou é parecido com o nosso, com estações do ano que podem ser medidas com o passar do tempo? Tem chuvas, ventos, furações, neblina? Você pode criar um bom e desafiador mundo pensando apenas nos planetas que temos em nosso sistema solar.

-- Publicidade --

Um exemplo legal é Mércurio, o mais próximo do sol em nosso sistema. Sem o movimento de rotação, a face voltada para o sol atinge temperaturas de 350°C e o lado escuro chega a -180°C. Imagine um mundo onde os humanos só pudessem sobreviver ali no meio desses dois extremos e os aventureiros fossem banidos para longe da civilização, tendo que sobreviver em algum dos lados? Descobrindo alguma conspiração ou uma base inimiga escondida em algum lugar destes lados inóspitos?

Você ainda pode tornar toda a sua campanha em mudar todo o clima de um planeta e torná-lo habitável para os seus jogadores. Esse é o plot de Mass Effect Andromeda. Colonizadores da Terra que encontram planetas com potencial de abrigar a raça humana, mas quando chegam lá, os planetas foram contaminados por alguma forma estranha de energia e se tornaram hostis, cabendo aos irmãos Ryder descobrir uma forma de tornar o planeta seguro para os colonizadores novamente.

Criar mundos de RPG podem ser a sua campanha

Você não criou apenas um mundo, e sim toda uma campanha! Criar mundos de RPG e campanhas ao mesmo tempo é uma forma excelente de passar o tempo. Pense nesses detalhes na hora de criar seu mundo de RPG e talvez você já tenha a sua aventura pronta.

E por fim, o Mapa

Após criar mundos de RPG, você provavelmente irá querer fazer um mapa dele, certo? Atualmente é muito fácil encontrar editores de mapa na internet e criar o seu, mas para dar aqui mais algumas dicas, pense em como seria o seu mundo agora se visto “de fora”. Ele será uma grande pangeia? Os continentes estão afastados? Tem navegações marítimas entre eles ou estão afastados por alguma coisa intransponível?

No Planeta Nirn, de The Elder Scroll, existe o continente de Tamriel e o continente de Akavir, mas, por algum motivo, os habitantes de Tamriel não navegam para Akavir. Talvez hajam monstro marinhos ou estão apenas esperando que bravos aventureiros resolvam explorar aquele mundo desconhecido.

-- Publicidade --

Vou deixar alguns geradores de mapas para que você possa criar mundos de RPG e ter o seu mapa bem detalhado para apresentar aos seus jogadores.:

Inkarnate

Bem complexo e detalhado. Aqui você terá como construir continentes inteiros para as suas aventuras, destacar os pontos de revelo com montanhas e florestas, com resultados bem profissionais.

Kasson

Este é um gerador de mapas com limitações para usuários free. O visual será aquele similar aos que você via nos livros de geografia, mas ele inclui algumas funcionalidades legais, como suporte para gerar encontros aleatórios e tesouros; para cidades com o tamanho da cidade, número de moradores, riqueza local, preço máximo de itens vendidos, demografia detalhada, lojas. Ele gera seu mundo e povoa ele de uma forma bem detalhada.

Azgaar

Crie seu mapa do zero ou use o gerado aleatoriamente pelo site. Defina diversos detalhes como mapas tipográficos, políticos e culturais ou um mapa simples, sem nada disso. Inclua rios, cidades, montanhas, defina a população de cada cidade e deixe tudo pronto para começar a jogar.

Como criar mundos de rpg - parte 1 | 52c49305 imagem 2021 04 12 120325 | married games dicas/guias | d&d, daemon, dungeons & dragons 5° edição, dungeons and dragons, editora daemon, mass effect, mestrar rpg, mestre, multiplayer, roll20, rpg, rpg de mesa, sistema, star trek, storyteller, tormenta, tormenta d20, wizards of the coast | criar mundos de rpg
“Mundos da Federação” diversas ideias para criar mundos de RPG em um lugar

Ainda não acabamos

Com tudo isso você já tem um mundo, com seu relevo, clima, gravidade e atmosfera, mas ainda está vazio. Falaremos depois sobre aspectos como população, animais, mitologia e cultura. Então, deixe aí nos comentários como está ficando o seu mundo até agora? Já tem o mapa dele na cabeça? Já pensou nos perigos naturais que os seus jogadores enfrentarão? Se ligue na próxima matéria com mais dicas de como criar mundos de RPG divertidos e completos.

-- Publicidade --

Esta matéria é um compilado de dicas publicadas no livro Guia de Mestre da Editora Talismã

Avatar of paulo fabris

Paulo Fabris é um jornalista, escritor, RPGista, gamer, cosplayer, nerd e fã de animes desde a época da TV Manchete.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *