Pesquisar
Close this search box.

Você viu: Quarta temporada de Stranger Things atinge recorde de visualizações na Netflix

Você viu: Quarta temporada de Stranger Things atinge recorde de visualizações na Netflix

Depois de três longos anos de espera, a quarta temporada de Stranger Things, um dos grandes sucessos da Netflix, finalmente foi lançada, no dia 27 de maio. Os novos episódios se passam seis meses depois da batalha de Starcourt, vista na terceira temporada. Com uma trama ainda mais sombria, tudo fica ainda pior quando, como de costume, uma nova ameaça sobrenatural do Mundo Invertido traz mais um mistério a ser resolvido. 

Netflix, o segundo streaming mais assistido no Brasil, atrás apenas para o YouTube, em um estudo inédito da Kantar Ibope Media (líder no mercado de pesquisa de mídia na América Latina), divulgou as aventuras macabras do grupo de amigos em Hawkins na quarta temporada, mas segurou os dois últimos episódios para somente dia 01 de Julho, fazendo os fãs continuarem ansiosos. E o que mais chamou atenção dos fãs do mundo geek foi a semelhança das aventuras da série com os desafios dos jogos de RPG.

Quarta temporada de stranger things
Stranger Things

Para quem não sabe, RPG (Role Playing Game) que, na tradução para o português, seria “Jogos de Interpretação de Papéis”, consiste em interpretar personagens, onde o participante joga através de narrativas e enredos. Cada jogo tem um enredo, e suas histórias dependem do desempenho do seu personagem. Depois de personalizar um personagem com características como raça, aparência, idade e até mesmo virtudes e habilidades necessárias, o jogador deve superar os obstáculos e desafios que aparecerão ao longo da história do jogo.

Mais de 70% dos brasileiros são adeptos a jogos eletrônicos – um público 7% maior que o registrado em 2019, conforme aponta a Pesquisa Game Brasil 2020. O perfil dos usuários são pessoas de 25 a 34 anos (33,6%), seguido por 16 a 24 anos (32,5%). Como a maioria dos jogos ou séries é em inglês, as pessoas que os consomem passam a aprender o idioma de uma maneira mais prática e eficaz. 

“Eu cresci em uma época em que os jogos ainda não tinham tradução. Aliás, conseguir um jogo de RPG para videogame em inglês (não japonês) já era uma enorme vitória. Para entender o que as missões pediam havia só uma saída: aprender por tentativa e erro. Aos poucos, as palavras-chave, termos e comandos se repetiam e eu os absorvia naturalmente. Nem percebi que estava aprendendo uma língua, pois para mim o jogo é estava ficando mais fácil. Só quando fiz um teste de nivelamento descobri o quanto sabia de inglês e quão fácil era, para mim, falar o idioma no meu dia a dia”, explica Carlos Marcelo, Coordenador Pedagógico da Minds Idiomas.

O que acontece quando assistimos Stranger Things ou jogamos RPG no seu idioma original?

Esse tipo de contato com um outro idioma cria um sistema de ensino chamado Mnemotécnica, que é quando utilizamos recursos que auxiliam na memorização de conteúdos, fórmulas matemáticas, datas, palavras, textos, nomes e muitas outras coisas, e também o idioma. E, como se sabe, a diversão pode ser uma excelente aliada com a educação, desde que haja uma estratégia de aprendizagem. O idioma, quando é apresentado de forma lúdica, com associações a imagens e inserido em um determinado cenário, é mais fácil de ser aprendido, pois o cérebro vai criando significados de maneira natural, sem ficar preso à traduções, o que pode ser uma válvula de escape para os pais que não sabem o que fazer com os filhos que são muito ligados ao universo dos games ou que passam horas assistindo filmes e séries.

Uma pesquisa realizada pelo British Council (instituto cultural do Reino Unido), em parceria com o Instituto de Pesquisa Data Popular, apontou que apenas 5% da população brasileira fala inglês — sendo que apenas 1% dessas pessoas são fluentes. Isso significa que, numa situação em que seja preciso realizar uma apresentação ou conversar com alguém sobre trabalho em inglês, só 1 em cada 100 brasileiros conseguirá se sair bem. Apesar de a pesquisa ser de 2013, não existem, hoje, indicadores que apresentem resultados longe desses acima, fazendo com que o idioma seja ainda mais importante dentro desse contexto social.

“Para que possamos mudar o cenário de poucos falantes do inglês, precisamos do apoio das novas tecnologias, pois o ensino integrou-se às plataformas digitais e, até hoje, passa por transformações para fazer com que aconteça de uma forma mais rápida, efetiva e lúdica. Tais mudanças estão sendo direcionadas para a adoção de técnicas mnemônicas, para que o aluno consiga gravar o conteúdo através de associações que facilitam na memorização e que façam uso da mnemônica fora da escola. E quando essa dinâmica é realizada com repetição, cria-se um contato inteligente com a língua, fazendo com que o aprendizado, sem perder a qualidade, aconteça de forma mais rápida”, explicou Rodrigo Berghahn, Coordenador Pedagógico da Minds Idiomas.

Muitas escolas que já passaram por reformulação em suas salas de aula por meio das novas tecnologias, se adequam às exigências do século XXI e possibilitam a criação de planos e atividades que mudam a relação educacional através da inovação, suprindo as necessidades dos alunos e dos professores que, por sua vez, tornam-se mais produtivos e reinventam o ambiente nas escolas. Na Minds Idiomas, sua metodologia com auxílio de lousa digital faz com que crianças e jovens consigam aprender o idioma, sendo possível se adaptarem ao advento da integração entre inteligência artificial e educação. 

Para ajudar, Rodrigo Berghahn, Coordenador Pedagógico Nacional da Minds Idiomas, dá 04 dicas de jogos de RPG que se assemelham com Stranger Things e, de quebra, ajudam a aprender inglês se aventurando:

1. Mass Effect 2

Desenvolvido pela BioWare e publicado originalmente pela Microsoft Game Studios, o jogo foi lançado em 11 de Janeiro de 2010 e hoje está disponível para as plataformas PlayStation 3, Xbox 360 e Microsoft Windows. Em Mass Effect 2, cada jogador precisa interagir com outros personagens para construir vínculos e conquistar sua lealdade. Ao contrário do primeiro Mass Effect, em vez de ganhar experiência por inimigo derrotado, os personagens desta sequência se aprimoram após cada missão cumprida ou tarefa resolvida, incentivando o jogador a avançar na história, já que não há recompensa em ficar matando um oponente após o outro, e gerando impacto também com as missões secundárias.

2. The Elder Scrolls V: Skyrim

The Elder Scrolls V: Skyrim é um jogo de ação desenvolvido pela Bethesda Game Studios e publicado pela Bethesda Softworks. Trata-se de um jogo de aventura, com um mapa gigantesco e muitos desafios, com locais para serem explorados, além de trazer um equilíbrio entre ação e aventura com história imersiva. Em Skyrim, o jogador vive as aventuras do “Dovahkiin”: o “filho” dos dragões, narrado em profecias milenares. O protagonista vem ao mundo para combater e eliminar a ameaça de destruição da volta dos dragões. Além da história principal, Skyrim é rico em quests paralelas e em história escondida no cenário, em interações com personagens, em livros esquecidos em cavernas e castelos e muito mais. É o quinto jogo principal da série The Elder Scrolls, seguindo The Elder Scrolls IV: Oblivion, e disponível nas plataformas Nintendo Switch, Xbox One e 360, PlayStation 5, 4 e 3, Xbox Serie X e Microsoft Windows. 

3. The World Ends With You

Lançado no japão como It’s a Wonderful World, é um RPG de Ação desenvolvido pela equipe de Kingdom Hearts da Square Enix e Companhia Jupiter para as plataformas Nintendo Switch, Android, iOS e Nintendo DS. Diferente dos dois jogos anteriores, The World Ends With You aplica sistemas e jogabilidade típica desse subgênero, pois deixa de lado a ação de Mass Effect 2 e Skyrim para apostar em sistemas de batalhas mais tradicionais. O título envolve o uso das duas telas para a criação de um sistema de combate que fraciona a ação no cenário em dois pontos de vista. Essa novidade encaixou bem com a proposta das telas touch há mais de uma década, o que ajuda a explicar o grande sucesso do jogo no iOS.

4. Baldur’s Gate 2: Shadow of Amn

Desenvolvido pela BioWare e lançado para o PC em 24 de Setembro de 2000 pela Interplay Entertainment, o jogo está disponível para as plataformas Android, Microsoft Windows, Mac OS Classic. O RPG oferece gameplay com gráficos isométricos e sistema de combate em tempo real que permite pausas, além da formação de grupos com até seis personagens. Bastante longo — a história pode levar até 60 horas, enquanto a conclusão de todas as quests pode ultrapassar 300 horas, incluindo novas funcionalidades, tais como novos feitiços, classes, níveis e kits de especialização para as personagens. Durante o jogo, as decisões tomadas pelo jogador irão influenciar o decorrer da história e o relacionamento entre os personagens do grupo, alterando alguns eventos futuros.

Quer fazer seu filho aprender inglês de forma divertida e com o uso da tecnologia? Procure a Minds Idiomas e entre para o mundo da Inteligência Artificial. Saiba mais aqui!

Sobre a Minds Idiomas

Com 15 anos de existência, o segredo da rede de idiomas Minds é a tecnologia. Com mais de 70 escolas em todo país, a Minds foi a primeira rede a implantar o ensino do inglês em tablets mantendo os livros físicos. Com especialistas em captação de conteúdo, a CEO Leiza Oliveira, tem consciência que a forma de aprendizado de cada criança e adulto é individual. Personalização e inovação são as palavras que movem franqueados e alunos da rede. O tempo de duração do curso da Minds é de 18 meses e há outras modalidades de ensino personalizadas. Acesse o nosso site e conheça mais sobre o mundo Minds acessando aqui!

Fale conosco nos comentários e diga se curtiu essa novidade e aproveite para ler mais notícias no nosso site.

Quer dar vida aos seus modelos 3D com texturas impressionantes? Continue lendo para aprender tudo sobre o processo de mapeamento UV do Blender!
Saiba mais sobre a espetacular memória RAM DELTA TUF RGB DDR5
Quer saber se vale a pena jogar a última obra de Akira Toryama? Então veja nossa analise de Sand Land
Conheça o robusto HD portátil SSD T-FORCE M200
Aprenda como enviar comandos aos personagens do seu jogo com o Signals no Godot
Saiba mais sobre os processos e mecanismos de Renderização no Blender