Pesquisar
Close this search box.

Os 12 Arquétipos de Personagens nos Games e Como Usá-los

Saiba como criar seus personagens usando os 12 Arquétipos de Personagens nos Games

Quando você está criando um jogo, se ele tiver uma boa história, um bom enredo, você terá que criar personagens para jogos. Fazer isso não é só pensar no seu design ou fazer uma bela modelagem em 3D. Você precisa dar conteúdo para ele. Você precisa criar uma psicologia para ele.

Uma motivação, nem que seja algo simples como salvar uma princesa. Tem que dar para ele um lugar no seu mundo. E, para fazer isso, uma das maneiras mais simples é encaixá-lo em um arquétipo!

Arquétipos de Personagens nos Games seria, para resumir bem, um tipo de “história pronta” que você dará a seus personagens e, a partir daí, desenvolverá com mais detalhes. Por exemplo, no seu jogo, provavelmente, há um herói e um vilão, certo?

Estes arquétipos, como o herói, o mentor e o vilão, têm raízes no inconsciente coletivo, um reservatório de memórias e ideias compartilhadas por toda a humanidade.

Os arquétipos de personagens são elementos-chave em filmes e livros, desempenhando papéis recorrentes que dão profundidade às narrativas. Segundo a teoria de Carl Jung, há 12 arquétipos principais que refletem aspectos universais da psique humana.

Eles fornecem uma estrutura para explorar as profundezas da psique humana e explicam por que certas histórias nos impactam tão profundamente. Os arquétipos são uma prova do poder duradouro da narrativa para conectar e explorar a complexidade da condição humana.

Vamos falar sobre os Arquétipos de Personagens nos Games e, se você ficar com dúvidas, deixe um comentário.

Aprenda a Criar Jogos Incríveis

Você ama videogames e imagina como seria criar o seu próprio, mas a ideia de aprender programação e mudar de carreira parece um desafio distante? Com o nosso curso, nós trazemos uma proposta diferente: aprender a criar jogos no seu tempo livre, sem a necessidade de se tornar um programador ou deixar seu trabalho atual.

Imagine poder criar pequenos projetos, jogos que contam histórias que você sempre quis contar, ou simplesmente experimentar suas ideias em um ambiente divertido e sem pressões. Nosso curso é desenhado para quem acha que não tem tempo ou paciência para aprender programação do zero. Através de ferramentas intuitivas e lições que cabem na sua rotina, você vai ver que é possível sim, trazer suas ideias para a vida digital.

Não é sobre mudar de carreira; é sobre adicionar mais paixão à sua vida. E quem sabe? Talvez isso se torne mais do que um hobby. Mas se não se tornar, tudo bem também! O importante é a satisfação de criar algo seu, no seu tempo e do seu jeito.

Clique aqui para começar a transformar sua paixão por jogos em criação. Afinal, por que só jogar quando você pode criar?

O Inocente

O arquétipo do Inocente, como definido por Jung, representa pureza e otimismo. Estes personagens, muitas vezes crianças ou aqueles com mentalidade infantil, veem o mundo com uma perspectiva imaculada, encontrando beleza no cotidiano.

Sua inocência serve como uma bússola moral, inspirando os outros com sua bondade inabalável e determinação em fazer o bem.

Ao longo de suas jornadas, enfrentam desafios que testam sua visão idealista, mas mantêm sua esperança e pureza.

Essa inocência, embora uma força, pode também ser uma fraqueza, levando-os a uma compreensão mais profunda de si mesmos e do mundo ao seu redor. Grandes exemplos de personagens inocentes são a Princesa Peach, de Super Mario Bros., e o Tails, de Sonic.

Tails
Tails
  • Pontos fortes: Otimismo, imaginação, pureza, resiliência, capacidade de inspirar os outros e trazer alegria
  • Fraquezas: Ingenuidade, impotência física, vulnerabilidade, às vezes confiança excessiva, podem ser facilmente enganados ou aproveitados
  • Motivação: Para encontrar a felicidade ou a verdade, para manter seu senso de admiração e esperança no mundo, para proteger sua pureza e inocência

O Órfão

O arquétipo do órfão representa a busca por pertencimento e significado. Embora não necessariamente órfãos literais, sua narrativa reflete a jornada universal de encontrar identidade e propósito. Originários de origens humildes, enfrentam circunstâncias extraordinárias, destacando sua humanidade comum.

Harry potter
Harry Potter

Como protagonistas, cativam o público com sua busca por conexão e crescimento pessoal. Suas histórias inspiram resiliência e esperança, mostrando que mesmo na adversidade é possível encontrar pertencimento.

Navegando pela jornada, aprendem a confiar em si mesmos e em novos aliados, transformando inseguranças em autovalorização. Esses arquétipos refletem a necessidade humana de conexão e transformação, ensinando que a pertencimento surge das provações e triunfos do espírito humano. Luke Skywalker e Harry Potter são os “órfãos” mais famosos do mundo.

  • Pontos fortes: Empatia, instinto de sobrevivência, sensação de ser escolhido, adaptabilidade, resiliência
  • Fraquezas: Falta de autoconfiança, vontade de agradar, medo de abandono, às vezes confiança excessiva
  • Motivação: Conectar-se, ser aceito e compreendido, encontrar seu lugar no mundo, superar seu passado

O Herói

O arquétipo do Guerreiro, também conhecido como herói, é essencial na narrativa, trazendo ação e drama à história. Este personagem é corajoso e determinado, liderando ao inspirar outros com sua resiliência e heroísmo. Enfrenta desafios internos e externos, destacando-se pela esperança em meio ao caos. Mostra que mesmo os mais poderosos podem falhar, mas é a capacidade de se levantar novamente que define um verdadeiro herói.

Heróis marvel
Heróis Marvel

Com sua coragem inabalável, cativa o público e deixa uma marca duradoura na narrativa, representando a luta constante contra o mal e a resiliência do espírito humano. O arquétipo do herói não apenas injeta emoção na trama, mas também inspira uma busca por justiça e redenção.

Sua jornada é emblemática, refletindo as batalhas universais enfrentadas pela humanidade, tornando-se um símbolo de esperança e força para os espectadores. Ao enfrentar os desafios, o herói evolui, mostrando que a verdadeira grandeza reside na capacidade de superar adversidades e persistir na jornada. Aqui oque não falta é exemplo: Sonic, Mario, Superman, Capitão América, Homem-Aranha, Batman, Aloy… sei lá, escolhe um!

  • Pontos fortes: Confiança, talento, força física/mental, coragem, determinação, liderança
  • Fraquezas: Egoísmo, excesso de confiança, podem ser cegados pelo seu próprio senso de justiça
  • Motivação: Provar o seu valor salvando o dia, superar desafios, ser um farol de força e inspiração. O seu principal desejo é proteger e liderar, servir de baluarte contra o caos e ser a força motriz na busca da vitória e da justiça.

O Cuidador

O arquétipo do Cuidador, refletindo qualidades maternais de nutrição e proteção, assume papéis diversos, podendo ser pai, cônjuge ou amigo dedicado. Sua essência é fornecer apoio e cuidado aos entes queridos, impulsionado por altruísmo e compaixão. São heróis desconhecidos, cuja influência é profundamente sentida por aqueles que confiam em sua constante presença.

Contamos com eles para garantir a segurança e bem-estar de filhos, parceiros ou amigos, ativamente contribuindo para a narrativa ou de maneira mais sutil, mas sempre disponíveis para ajudar. Além de serem atenciosos, possuem sabedoria e compreensão da condição humana, oferecendo conselhos que orientam para o crescimento pessoal e cura.

Sua presença proporciona equilíbrio emocional na narrativa, lembrando o poder da compaixão e a importância de cuidarmos uns dos outros. Embora seu cuidado envolva sacrifício pessoal, isso sublinha seu papel essencial no desenvolvimento do protagonista e na trama. Podemos dizer que os cuidadores famosos seriam a Aerith, em Final Fantasy VII, o Sam de O Senhor dos Anéis e Toriel de Undertale.

  • Pontos fortes: Natureza amorosa, altruísmo, generosidade, empatia, carinho
  • Fraquezas: Ingenuidade, vulnerabilidade à exploração, pode ser excessivamente protetora
  • Motivação: Para ajudar e proteger outras pessoas, para criar um ambiente seguro e de apoio
Final fantasy
Aerith, a cuidadora, e Tifa, a amante

O Amante

O arquétipo do Amante (não, não estamos falando do “Ricardão”), na psicologia analítica, personifica o aspecto apaixonado e sensual da experiência humana. Este personagem é caracterizado por sua busca pela conexão íntima e pela busca pelo prazer e beleza em todas as formas. Representa o amor em seu sentido mais amplo, não apenas romântico, mas também amor pela vida, pelos amigos, pela arte e pela experiência sensorial.

O Amante é uma alma sensível, profundamente conectada às emoções e aos prazeres do mundo ao seu redor. Sua jornada muitas vezes envolve explorar os reinos da paixão e da sensualidade, buscando a realização emocional e espiritual através do amor e da intimidade.

Eles podem ser tanto heróis românticos, em busca de amor verdadeiro, quanto apreciadores da beleza estética e das experiências sensoriais. O arquétipo do Amante nos lembra da importância de nos conectarmos com nossos desejos e emoções mais profundos, buscando a beleza e o prazer genuínos na vida. Tifa Lockhart, da série Final Fantasy VII, é retratada como uma pessoa compassiva e apaixonada, que se preocupa profundamente com seus amigos e com o mundo ao seu redor.

  • Pontos fortes: Devoção, paixão, altruísmo
  • Fraquezas: Disposição de se sacrificar por seu amante
  • Motivação: Ser um com seu amado

O Sedutor

Os Sedutores, ou charmosos na psicologia junguiana, usam sua beleza e charme para influenciar as situações a seu favor. Com várias formas e gêneros, desafiam o status quo com modos não convencionais. Envoltos em fascínio e mistério, buscam cativar e dominar os outros, utilizando sua atratividade para exercer poder e satisfazer suas necessidades.

Astarion
Astarion

Prosperam na emoção da conquista, seja amorosa, financeira ou estratégica. Seu magnetismo pode render favores, mas também despertar inveja e suspeita. Com uma compreensão aguçada da natureza humana, manipulam relacionamentos sociais com facilidade, usando a persuasão para alcançar seus objetivos.

Apesar de intelectualmente formidáveis, seu encanto esconde um preço alto para qualquer favor concedido. Com poder, sexo, dinheiro e influência em seu arsenal, manipulam o mundo para satisfazer seus desejos. O exemplo mais recente de sedutor que surgiu no mundo dos games e um dos mais famosos da atualidade é o Astarion de Baldur’s Gate 3.

  • Pontos fortes: beleza, carisma, amoralidade
  • Fraquezas: Falta de lealdade, integridade e moralidade
  • Motivação: Estar no controle

O Rebelde

O arquétipo do Rebelde na psicologia analítica desafia as normas culturais e representa a busca por liberdade e justiça. Este personagem é um catalisador de mudança, destruindo estruturas opressivas para criar espaço para o progresso. Firme contra o status quo, o Rebelde encarna a luta pela igualdade e autenticidade, muitas vezes assumindo o papel de anti-herói.

Kratos
Kratos

Enfrentando conflitos e oposição, sua marginalização oferece uma perspectiva única sobre a necessidade de transformação. Movido pela equidade, inspira movimentos de mudança e reflete as aspirações coletivas da sociedade. Desafia os valores estabelecidos e encoraja a coragem para defender uma existência mais autêntica e justa. Exemplifica a resistência contra a tirania, incentivando os indivíduos a se oporem à opressão interna e externa.

O arquétipo do Rebelde nos lembra que, para alcançar a justiça e a igualdade, às vezes é necessário desafiar a ordem estabelecida e agitar as estruturas sociais. Sua presença na narrativa serve como um espelho para o público, instigando a reflexão sobre os valores e a coragem necessária para defender os direitos fundamentais. Kratos desafia os deuses do Olimpo em sua busca por poder e vingança. Ele se rebela contra seu destino predestinado, desafiando as ordens dos deuses e buscando sua própria justiça.

  • Pontos fortes: Resiliência, desenvoltura, capacidade de inspirar
  • Fraquezas: Falta de poder, status e recursos
  • Motivação: Mudar o mundo e restaurar a justiça

O Criador

O arquétipo do Criador é uma figura profundamente criativa e inovadora, cujo propósito é trazer novas ideias e manifestar novas realidades. Representa a força motriz por trás da expressão artística, da invenção e da transformação.

Homem de ferro
Homem de Ferro

Esses personagens são impulsionados por um impulso interior de criar algo significativo e duradouro, seja uma obra de arte, um projeto científico ou uma mudança social. Eles são visionários que enxergam além do presente e buscam moldar o futuro de acordo com sua visão única.

O Criador enfrenta desafios como a resistência à mudança e o medo do desconhecido, mas sua paixão e determinação o impulsionam a superar obstáculos e perseguir suas aspirações. Seu legado é deixado através de suas criações, que inspiram e impactam as gerações futuras, refletindo sua habilidade de transformar o mundo ao seu redor através da arte, da ciência e da inovação. Tony Stark, também conhecido como Homem de Ferro, é um exemplo clássico do arquétipo do Criador.

  • Pontos fortes: motivação, criatividade, visão
  • Fraquezas: Perfeccionismo, egoísmo, auto-sacrifício
  • Motivação: Construir algo que deixe um legado

O Coringa


O arquétipo do Coringa é um personagem complexo e intrigante, frequentemente retratado como um agente do caos e da anarquia. Este arquétipo desafia as normas sociais e instiga a desordem, representando a imprevisibilidade e a ambiguidade moral.

Vaas montenegro de far cry 3
Vaas Montenegro de Far Cry 3

O Coringa encarna o lado sombrio da psique humana, revelando os aspectos mais perturbadores e distorcidos da natureza humana. Sua presença muitas vezes traz uma sensação de desconforto e insegurança, pois seus motivos e ações são frequentemente ilógicos e irracionais.

Esta paixão inabalável, contudo, pode ser uma faca de dois gumes; o seu perfeccionismo e padrões auto-impostos podem levar a uma sensação de isolamento, pois podem distanciar-se dos amigos, da família e de outros laços sociais na sua busca pela excelência. O seu egoísmo, nascido do seu foco intenso e da crença na sua visão, pode por vezes cegá-los para as necessidades e perspectivas dos outros.

Um exemplo de personagem que se encaixa no arquétipo do Coringa é o personagem Vaas Montenegro, do jogo Far Cry 3. Vaas é retratado como um vilão caótico e imprevisível, que desafia constantemente as normas sociais e morais. Sua natureza volátil e sua tendência para o caos fazem dele uma figura temida e perturbadora dentro do mundo do jogo, e sua presença adiciona uma camada de tensão e instabilidade à narrativa.

  • Pontos fortes: Senso de diversão, simpatia, alegria
  • Fraquezas: Falta de confiabilidade, frivolidade, egoísmo
  • Motivação: Para ter facilidade em viver o hoje

O Mentor

O arquétipo do Mentor desempenha um papel crucial na jornada do herói, fornecendo orientação e sabedoria essenciais. Também conhecido como o sábio, ele pode assumir diversas formas, como um pai ou um velho sábio. Os mentores são reservatórios de conhecimento, transmitindo não apenas habilidades técnicas, mas também sabedoria moral e lições de vida.

Mestre splinter
Mestre Splinter

No entanto, sua própria jornada frequentemente é marcada por cicatrizes e dificuldades, o que pode torná-los cautelosos e relutantes em agir rapidamente. Apesar disso, eles permanecem como guias indispensáveis, motivados pelo desejo de nutrir e preparar a próxima geração.

Os mentores representam faróis de conhecimento e sabedoria, moldando não apenas o protagonista, mas também o próprio curso da história. Seu impacto é imensurável, proporcionando estabilidade em um mundo caótico e ajudando o herói a alcançar seu verdadeiro potencial.

Mesmo que possam parecer endurecidos pelas provações passadas, sua motivação fundamental reside no desejo de transmitir sua sabedoria e ajudar outros a encontrar o caminho para o sucesso. Em última análise, o arquétipo do Mentor é uma parte indispensável do rico panorama dos personagens, representando o poder duradouro da orientação e da educação na jornada humana. O Mestre Splinter, de as Tartarugas Ninja, é um exemplo clássico de mentor.

  • Pontos fortes: Sabedoria, calma, experiência
  • Fraquezas: Cuidado, relutância em agir, ser endurecido por experiências passadas
  • Motivação: nutrir a próxima geração

O Mágico

O arquétipo do Mágico é uma figura enigmática e poderosa que representa o poder da transformação e da manifestação dos desejos. Ele é frequentemente retratado como um mestre das artes místicas, capaz de manipular a realidade de maneiras surpreendentes e incompreensíveis para os outros personagens. O Mágico personifica a ideia de que a mente humana tem o poder de influenciar e moldar o mundo ao seu redor através da vontade e da imaginação.

Andrew ryan
Andrew Ryan

Este arquétipo pode aparecer em várias formas, desde o sábio eremita nas montanhas até o místico viajante das estrelas. Seu conhecimento transcendental e sua conexão com o universo o tornam uma fonte de sabedoria e orientação para aqueles que buscam compreender os mistérios do mundo.

No entanto, o Mágico também pode ser um personagem ambíguo, cujas motivações nem sempre são claras. Sua busca pelo poder pode levá-lo a explorar áreas sombrias da magia, colocando-o em conflito com outros personagens e criando dilemas éticos complexos.

Um exemplo nos jogos que reflita o arquétipo do Mágico, sem estar necessariamente ligado ao poder mágico, é Andrew Ryan, do jogo “BioShock”. Ryan é o fundador da cidade subaquática de Rapture, um ambiente distópico que ele projetou como um refúgio para os mais brilhantes e talentosos do mundo, longe das restrições do governo e da sociedade.

  • Pontos fortes: Capacidade estratégica, conhecimento, experiência
  • Fraquezas: Arrogância, raiva, vontade de destruir
  • Motivação: Criar ordem a partir do caos e moldar o mundo

O Líder

O arquétipo do líder transcende culturas e períodos históricos, personificando qualidades de coragem, integridade e visão. Como uma figura central na jornada heroica, o líder inspira e guia outros em direção a objetivos comuns. Ele não apenas possui habilidades de liderança, mas também demonstra empatia e compaixão, criando um ambiente onde todos podem prosperar.

Aragorn
Aragorn

Na narrativa, o líder enfrenta desafios e adversidades, testando sua resiliência e determinação. Sua jornada envolve tomar decisões difíceis, assumir responsabilidades e enfrentar o desconhecido com bravura. Ao fazê-lo, ele se torna um farol de esperança e inspiração para aqueles ao seu redor.

O arquétipo do líder inspira não apenas através de suas ações, mas também através de sua ética e valores. Ele representa a capacidade humana de superar desafios e unir os outros em busca de um objetivo comum, deixando um legado duradouro que transcende o tempo e o espaço.

Exemplos de líderes na ficção incluem personagens como Aragorn de “O Senhor dos Anéis”, que lidera a sociedade do Anel na luta contra Sauron, e Daenerys Targaryen de “Game of Thrones”, que busca libertar os oprimidos e reivindicar seu lugar no trono. Esses personagens não apenas lideram exércitos em batalhas épicas, mas também demonstram compaixão por aqueles que estão ao seu redor, tornando-se símbolos de esperança e mudança.

  • Pontos fortes: Liderança, poder, carisma
  • Fraquezas: Suspeita, paranoia, incapacidade de aceitar ajuda
  • Motivação: Sua motivação principal decorre de uma necessidade profunda de criar um legado e trazer ordem e estabilidade.

Como usar Arquétipos de Personagens nos Games?

Os arquétipos de Carl Jung são uma ferramenta poderosa na criação de personagens de jogos, pois oferecem padrões reconhecíveis de comportamento e motivação que podem tornar os personagens mais envolventes e memoráveis. Aqui estão algumas maneiras de como os arquétipos podem ser usados na criação de personagens de jogos:

  1. Herói: O herói é frequentemente o protagonista de muitos jogos, destacando-se por sua coragem, determinação e habilidades excepcionais. Eles são os jogadores que enfrentam desafios, derrotam vilões e salvam o dia.
  2. Amante: O arquétipo do amante pode ser usado para criar personagens que são motivados pelo amor e conexão emocional. Eles podem se destacar em jogos que enfatizam relacionamentos e interações sociais, como jogos de romance ou simulação de vida.
  3. Sábio: Personagens sábios podem servir como mentores ou guias para o protagonista, fornecendo conhecimento e sabedoria para ajudá-los em sua jornada. Eles são frequentemente encontrados em jogos de RPG, onde oferecem conselhos valiosos e auxiliam na progressão da história.
  4. Rebelde: Os rebeldes desafiam as normas e autoridades estabelecidas, muitas vezes lutando contra sistemas opressivos ou injustiças. Eles podem ser protagonistas em jogos de ação e aventura, onde buscam a liberdade e a justiça.
  5. Governante: Personagens governantes são líderes poderosos que exercem autoridade e influência sobre outros personagens no jogo. Eles podem ser vilões dominadores ou heróis benevolentes, dependendo das escolhas do jogador e do enredo do jogo.

Um criador de jogos pode usar esses arquétipos de várias maneiras, desde projetar personagens principais até criar personagens secundários e antagonistas. Eles podem ser usados para criar uma variedade de personalidades e motivar o jogador a se envolver com a história e os personagens do jogo. Ao entender os arquétipos e como eles funcionam, um criador pode criar personagens mais complexos e interessantes que ressoam com o público-alvo do jogo.

FAQ Rápido

O que são os 12 arquétipos de Carl Jung?

Os 12 arquétipos são personificações universais de traços de personalidade que Jung identificou em sua teoria. Eles incluem o Inocente, o Órfão, o Herói, o Cuidador, o Amante, o Sedutor, o Rebelde, o Criador, o Coringa, o Mentor, o Mágico e o Líder.

Como os arquétipos são usados na narrativa?

Na narrativa, os arquétipos são frequentemente utilizados como modelos para desenvolver personagens e estruturar histórias. Eles oferecem padrões reconhecíveis de comportamento e motivação que os escritores podem empregar para criar personagens mais ricos e envolventes, bem como para explorar temas universais.

Qual é a importância dos arquétipos na psicologia?

Na psicologia, os arquétipos ajudam a compreender a natureza humana, fornecendo uma lente através da qual podemos examinar padrões de pensamento, emoções e comportamentos. Eles também podem ser usados ​​em terapia para ajudar os indivíduos a compreenderem melhor a si mesmos e a lidarem com questões pessoais.

Qual é a importância de entender os arquétipos na criação de jogos?

Compreender os arquétipos pode ajudar os criadores de jogos a criar personagens mais complexos e interessantes, bem como a desenvolver enredos mais envolventes. Eles podem ser uma ferramenta útil para motivar os jogadores a se envolverem com a história e os personagens do jogo, contribuindo para uma experiência de jogo mais rica e imersiva.

Fale conosco nos comentários e diga oque achou dessa matéria e aproveite para ler mais notícias e matérias, como por exemplo, nosso guia para criar jogos, no nosso site.

Quer dar vida aos seus modelos 3D com texturas impressionantes? Continue lendo para aprender tudo sobre o processo de mapeamento UV do Blender!
Saiba mais sobre a espetacular memória RAM DELTA TUF RGB DDR5
Quer saber se vale a pena jogar a última obra de Akira Toryama? Então veja nossa analise de Sand Land
Conheça o robusto HD portátil SSD T-FORCE M200
Aprenda como enviar comandos aos personagens do seu jogo com o Signals no Godot
Saiba mais sobre os processos e mecanismos de Renderização no Blender