A “entrada Ubisoft no mundo dos NFTs precisa de tempo”, diz Diretor Técnico

"Sabemos que levará tempo", diz diretor da tecnologia Blockchain da Ubisoft

A entrada da Ubisoft no mundo dos NFTs, até agora tem sido “um pouco difícil” (para não dizer um completo desastre) e também foi recebida pelo público em geral com uma enorme quantidade de hostilidade e negatividade em alto e bom som (visto o incrível número de “dislikes” que o vídeo do anúncio recebeu). E como a empresa respondeu a essa reação? Exatamente como você esperaria.

Enquanto alguns estúdios experimentam entrar nessa onda de transformar itens em ativos, descobriram que seus fãs não estavam exatamente entusiasmados com a perspectiva e desistiram, a Ubisoft está muito envolvida nesse assunto para desistir agora. E assim, em uma entrevista para um site de notícias criptográficas, a empresa explicou como pretende ignorar suas preocupações e seguir em frente com tudo.

Leia Também:
Gosta de pôquer e criptomoedas? Conheça Polker
34 melhores jogos para ganhar criptomoedas
Criptokitties, conheça os gatinhos que valem dinheiro
Guia para iniciantes de Axie Infinity
Jogos parecidos com Axie Infinity

Entrada ubisoft no mundo dos nft
Os primeiros Digits do Ubisoft Quartz

Ubisoft no mundo dos NFTs é uma questão de tempo e compreensão

Falando com o Decrypt, um site especializado em criptografia criptomoedas e “dedicado a ajudar as pessoas a entender este admirável mundo novo”, o diretor técnico do Blockchain da Ubisoft, Didier Genevois, deu algumas declarações que basicamente se resumem a: “Estamos fazendo de qualquer maneira, você só precisa de tempo para se acostumar.”

“Recebemos muitos comentários desde o anúncio e ouvimos tanto o incentivo quanto as preocupações. Entendemos de onde vem o sentimento em relação à tecnologia e precisamos levar isso em consideração a cada passo do caminho.” Genevois continuou: “Esta experiência visa compreender como a proposta de valor da descentralização pode ser recebida e adotada por nossos jogadores. Sabemos que é uma grande mudança que levará tempo, mas permaneceremos fiéis aos nossos três princípios”.

-- Publicidade --

De acordo com Genevois, os princípios da Ubisoft são “usar a tecnologia com responsabilidade” e “construir um ambiente seguro” para os jogadores explorarem como funcionam os NFTs, “aproveitar apenas blocos de prova de aposta com eficiência energética” e “focar em propostas de valor significativas para jogadores que beneficiam sua experiência de jogo.”

Um NFT serve como prova de propriedade de um objeto digital exclusivo – neste caso, itens de videogame únicos, como armas e equipamentos. Os Ghost Recon NFTs da Ubisoft podem ser revendidos nos mercados secundários. Outros NFTs de videogame também podem ser ativos interoperáveis, permitindo assim seu uso em vários jogos e plataformas online. “Nosso principal objetivo com Ubisoft Quartz é mostrar o verdadeiro valor da descentralização para nossos jogadores”, disse Genevois.

O que é o Ubisoft Quartz?

No Ubisoft Quartz, os jogadores teriam acesso a itens, skins e armas exclusivas e limitadas, chamadas de “Digits”. A ideia é que os “Digits” da Ubisoft permitirão que os jogadores tenham personalizações e propriedade “exclusivas” sobre seus itens no jogo. O quão único essas personalizações e equipamentos realmente são, ainda não se sabe. Em seu vídeo de anúncio, a empresa afirma que cada Digit será marcado com um número de série facilmente visível.

Ubisoft quartz
Primeiros NFT que virão em Ghost Recon Breakpoint

A empresa também afirma que os NFTs serão vendidos fora do ecossistema da Ubisoft como uma forma de “dar aos jogadores mais controle do que nunca”. A capacidade de negociá-los em outro lugar será a única diferença funcional perceptível para a grande maioria das pessoas entre os NFTs da Ubisoft e os itens do mercado Steam, como cartas comerciais, skins CS: GO e chapéus do Team Fortress 2 . Itens Steam existem apenas no Steam e operam dentro do ecossistema do Steam, enquanto NFTs, como os do esquema da Ubisoft, podem ser negociados em um blockchain distribuído longe do “jardim murado” de uma loja particular.

Apesar desses apelos, os jogadores continuam reticentes em relação aos NFTs da empresa que já tem uma fama ruim graças as toneladas de microtransações que seus jogos carregam. Então, fica a dúvida: Você abraçaria a ideia da Ubisoft e investiria nos Digits? Fale conosco nos comentários e diga se curtiu essa novidade e aproveite para ler mais notícias no nosso site.

-- Publicidade --

Fonte: Decrypt

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Avatar of paulo fabris

Paulo Fabris é um jornalista, escritor, RPGista, gamer, cosplayer, nerd e fã de animes desde a época da TV Manchete.