Crash Bandicoot no PC: It’s About Time chega aos computadores com surpresas

Causando mais confusão do que o marsupial do título, Crash Bandicoot no PC com uma surpresa desagradável: exigência de conexão constante com a internet.

Quem ama um bom jogo de plataforma e gosta do mascote da Sony, Crash Bandicoot, já pode se alegrar. O quarto jogo da franquia, Crash Bandicoot 4: It’s About Time, chegou aos Pcs no dia 26 de março e traz uma novidade não tão boa para quem quer jogar esse título: A conexão constante com a internet.

Não é novidade um jogo que exige a conexão constante com a internet, principalmente títulos multiplayers e massivos que permitem que vários jogadores explorem o mesmo mundo ou se desafiem em partidas onlines, mas esse não é o caso de Crash Bandicoot no PC. Crash Bandicoot 4: It’s About Time não tem (até o momento) nenhuma função online, apenas um modo cooperativo local para até quatro jogadores. Um detalhe é que as versões de console não pedem essa conexão online, apenas a versão de Crash Bandicoot no PC.

Crash bandicoot no pc: it’s about time chega aos computadores com surpresas | 6980f250 imagem 2021 03 29 112049 | married games notícias | activision, blizzard, crash bandicoot, crash bandicoot it's about time, pc, playstation, singleplayer | crash bandicoot no pc
Salvando o tempo, mas com estilo

Em resposta, a Blizzard tuitou o seguinte:

Claro que, além dos tradicionais problemas de conexão que temos graças a nossas provedoras de internet no Brasil, essa obrigatoriedade também está causando problemas para os jogadores que tem uma boa internet e não conseguem acessar os servidores da Battle.Net e jogar um jogo que, pela lógica, deveria funcionar mesmo que a internet não estivesse disponível já que não há nada que para se fazer online nele.

Crash Bandicoot no Pc já Disponível em um Torrent Pertinho de Você!

O mais provável é que a ideia da Activision Blizzard para essa conexão online constante era proteger o jogo da pirataria e evitar que quem não comprou o jogo não pudesse acessá-lo, o que, claramente, não funcionou. Um dia depois do seu lançamento, Crash Bandicoot 4: It’s About Time já tinha sido crackeado e disponibilizado na internet, burlando a exigência da conexão constante, como as versões de console.

-- Publicidade --

Segundo a Ars Technica, o arquivo crack substitui a instalação normal e permite o jogo sem a conexão da Battle.Net, mas não detalha o que mais esse arquivo faz além de instalar o jogo (então, é melhor pensar com cuidado antes de sair clicando em “Eu Aceito”). Esse foi um duro golpe na empresa que tenta estabelecer a Battle.Net como uma plataforma de jogos oferecendo jogos exclusivos, como WoW e Overwatch, e fazer frente a Steam.

Crash: Um Ícone de Resistência

Crash Bandicoot é uma das últimas grandes estrelas que chegou aos consoles já no final da chamada “Era dos Mascotes” e se tornou um sucesso do adorado Sony Playstation. Um jogo divertido, desafiador, controles precisos e um mascote maluco e carismático, cheio de caras e bocas engraçadas enfrentando um cientista maluco tão cheio de maluquices quanto ele.

Lançado originalmente em 1996 pela Naughty Dog, quando mais ninguém se interessava tanto por bichinhos fofinhos pulando em plataformas, as crianças e adolescentes estavam mais ligados em gráficos realistas e sangue, Mario reinava absoluto com seu Super Mario 64 e Sonic estava correndo em círculos sem um grande título em 3D (obrigatório na época) para o principal console da Sega no momento, o Sega Saturn, e enfrentando um complexo desenvolvimento do lendário Sonic X-Treme, Crash Bandicoot tinha tudo para cair no esquecimento junto com outros mascotes da época como Gex e Bubsy (alguém aí lembra deles?).

Mas, não foi o que aconteceu! A Sony apostou forte no personagem, com comerciais que provocavam a concorrência e aparições em eventos e convenções. Até o lançamento de um desenho animado para o personagem foi planejado, mas a ideia foi cancelada já que uma animação 2D tradicional ia contra tudo o que a Sony queria demonstrar na época com seu mascote e seu console: visuais 3D coloridos, brilhantes e dinâmicos.

Animação produzida para mostrar aos executivos da Sony

As críticas ao jogo, na época, foram positivas. Os críticos elogiavam os gráficos e a jogabilidade, embora não trouxesse nenhuma inovação para os jogos de plataforma. O sucesso foi tanto que rendeu duas sequências ao marsupial, jogos para os portáteis, como o Game Boy e spin-offs de corrida ao estilo Mario Kart.

-- Publicidade --

Mas, o tempo passou e, por muitos anos, ele ficou na geladeira da Sony, fazendo leves aparições e pontas em outros jogos, mas nunca ganhando um grande título de peso novamente. Até que a onda de remakes e remasters que invadiram as grandes mídias, como videogame e cinema, fizeram os fãs começarem a se perguntar: Não está na hora de trazer de volta o Crash?

Crash reapareceu, assim como a esperança dos fãs

E sua aparição no jogo e na animação de Skylander Imaginators só fez com que esses fãs ficassem ainda mais animados com um possível retorno de Crash ao mundo dos jogos. Mas, foi em 2017 que a Activion anunciou oficialmente não um, mas os três jogos originais de Crash totalmente remasterizados, na trilogia Crash Bandicoot N. Sane Trilogy com exclusividade temporária para os donos do Playstation 4. Um ano depois o marsupial rodopiava em direção aos Pcs e Xbox pela primeira vez, deixando de ser um exclusivo da Sony.

Esse sucesso rendeu uma sequência para a franquia principal, batizada de Crash Bandicoot 4: It’s About Time, Crash e sua irmã, Coco, agora deverão enfrentar o vilão, Dr. Cortex, não somente em sua ilha, mas também em vários momentos da história com um novo poder capaz de manipular o tempo, parando ou retrocedendo nele para resolver puzzles e vencer desafios. E, isso não é tudo.

Resolvendo Problemas com a Ex

Um dos destaques de Crash Bandicoot 4: It’s About Time é a reintrodução da personagem Tawna, a ex-namorada de Crash e a “donzela em perigo” que o herói devia resgatar no primeiro jogo. Baseada na atriz e modelo Pamela Anderson, Tawna foi considerada pela Sony do Japão “sexy demais” para um jogo de bichinhos pulando em plataformas e, por isso, ela foi removida no segundo jogo e substituída por Coco Bandicoot, a irmã de Crash, uma personagem muito mais infantil e discreta do que Tawna.

Crash bandicoot no pc tawna
A nova Tawna está mais para Sarah Connor do que para Pamela Anderson

Tawna foi reduzida a aparições esporádicas como pôsteres ou fotos nos games seguintes e jogável apenas no spin-off Crash Boom Bang, para Game Boy Advence. Porém, em Crash Bandicoot 4: It’s About Time, Tawna volta com um visual reformulado e muito mais badass do que antes, com cabelo colorido e armada com uma espada e um gancho que permite que ela alcance lugares inacessíveis.

-- Publicidade --

Confira os Requisitos Mínimos e Recomendados para jogar Crash Bandicoot no Pc:

Requisitos Mínimos

Sistema operacional:Windows 10;
Processador:Intel Core i3-4340 ou AMD FX-6300;
RAM:8 GB;
Placa de vídeo:NVIDIA GeForce GTX 660 ou AMD Radeon HD 7950;
Espaço em disco:30 GB.

Requisitos Recomendados

Sistema operacional:Windows 10;
Processador:Intel Core i5-2500K ou AMD Ryzen 5 1600X;
RAM:16 GB;
Placa de vídeo:NVIDIA GeForce GTX 970 ou AMD Radeon R9 390;
Espaço em disco:30 GB.

Crash Bandicoot 4: It’s About Time, a versão de Crash Bandicoot no Pc está disponível apenas na Battle.Net por R$ 179,90 e, como dito na matéria, exige a conexão constante com a internet. A Activion, até o momento, não se pronunciou sobre o problema.

E aí, é fã de Crash Bandicoot? O que acha da decisão do jogo ser conectado na internet? Atrapalha você ou é sem problemas? Deixe nos comentários e leia mais sobre a Activision no site.

-- Publicidade --
Avatar of paulo fabris

Paulo Fabris é um jornalista, escritor, RPGista, gamer, cosplayer, nerd e fã de animes desde a época da TV Manchete.