Pesquisar
Close this search box.

Tekken 8: A Briga pela Herança da Família Mishima Continua em um Jogo Cheio de Pancadaria Bruta

Saiba o que achamos do mais novo jogo da franquia de luta da Bandai Namco, Tekken 8

Você acha que a sua família brigando por causa da herança de um terreno é uma briga? Isso é porque você não é um membro da família Mishima e nem está atrás da herança de Heihachi Mishima: A Mishima Zaibatsu. Brincadeiras a parte, Tekken 8 (site oficial).

O mais novo jogo da saga criada pela Bandai Namco (site oficial) em 1994, traz de volta o principal cerne da franquia após os eventos que aconteceram no game anterior. A luta entre pai e filho, mas, dessa vez Kazuya e Jin estão no palco principal do combate.

A ameaça crescente do devil gene que está presente em todo o membro da família Mishima, o conflito em escala mundial que Jin iniciou ao se sentar no trono do conglomerado empresarial erguido por Heihachi, a aparição das misteriosas garotas Reina e Zafina, além do poder maligno que apenas cresce dentro dos personagens adiciona um tempero extra a esse incrível game de luta que chegou ao PC, PlayStation 5 e Xbox Series S/X.

Mas, vale a pena jogar? Para quem não conhece a franquia Tekken, o jogo é amigável e divertido? Vale o valor que está sendo cobrado? Vamos destrinchar o mais novo game de luta da Bandai e, se você ficar com dúvidas, é só deixar nos comentários.

O Caminho até Aqui

Para aqueles que, como eu, nunca jogou Tekken antes, vamos dar um pequeno resumo de tudo o que aconteceu até agora. A saga “Tekken” é mais do que uma série de jogos de luta; é uma narrativa rica em dramas familiares, traições e redenção. Com cada lançamento, a história se expande, adicionando camadas de profundidade a um universo já complexo. A franquia não apenas desafiou os jogadores com seu estilo de combate único, mas também os cativou com uma história que atravessa gerações, desvendando os segredos da família Mishima e do poderoso Devil Gene.

“Tekken” tece uma história complexa de conflitos familiares, poder e vingança. Lançada em 1994, a série começa com “Tekken”, onde Heihachi Mishima, líder do conglomerado Mishima Zaibatsu, organiza o King of Iron Fist Tournament. O torneio atrai lutadores de todo o mundo, incluindo seu filho, Kazuya, que busca vingança pelo trauma de infância de ter sido jogado em um penhasco pelo próprio pai. Esse jogo estabelece os personagens e temas recorrentes da série, com uma mistura de realismo e elementos sobrenaturais.

Em “Tekken 2”, a narrativa se aprofunda. Kazuya, agora corrompido pelo misterioso Devil Gene, assume o controle do Mishima Zaibatsu e organiza o segundo torneio. Personagens como Jun Kazama são introduzidos, e o jogo culmina com a aparente morte de Kazuya, que é jogado em um vulcão por Heihachi.

“Tekken 3”, ambientado 15 anos após o segundo jogo, traz uma nova geração de lutadores. Central para a história é Jin Kazama, filho de Kazuya e Jun. Com a introdução da entidade mística Ogre, responsável pelo desaparecimento de vários lutadores, Jin se prepara para enfrentar essa ameaça, revelando sua transformação em Devil Jin.

O quarto jogo da série, “Tekken 4”, revela que Kazuya sobreviveu à sua queda no vulcão. Ele retorna para se vingar de Heihachi e enfrentar seu filho Jin. Este jogo introduz cenários com múltiplos níveis e paredes, alterando a dinâmica de combate. O confronto culmina com Jin poupando Heihachi após derrotá-lo.

Em “Tekken 5”, após serem atacados por uma horda de robôs, Heihachi é dado como morto e Jin assume o controle do Mishima Zaibatsu. O jogo explora mais o passado da família Mishima e traz de volta personagens ausentes, além de introduzir novos lutadores como Asuka Kazama. A trama se aprofunda no legado amaldiçoado da família.

“Tekken 6” expande a história para uma escala global, com Jin, agora como líder do Mishima Zaibatsu, desencadeando uma guerra mundial. O jogo introduz Lars Alexandersson, outro membro da complexa árvore genealógica dos Mishima. A narrativa de “Tekken 6” deixa muitas questões em aberto, estabelecendo o cenário para o próximo jogo.

“Tekken 7”, o clímax da série, foca no confronto final entre Kazuya e Heihachi, explorando mais sobre a origem do Devil Gene. Akuma, da série Street Fighter, faz uma aparição especial, integrando-se à trama de maneira significativa. O jogo conclui com a aparente morte de Heihachi, trazendo uma resolução para o conflito de longa data entre pai e filho.

Em Busca do Poder do Devil Gene

O modo história de Tekken 8 começa com Lars Alexandersson, um membro da família Mishima que busca de todas as formas combater o mal que ela representa, falando com um ainda enfraquecido Jin Kazama que está perseguindo o seu pai, Kazyua Mishima, o atual CEO da Mishima Zaibatsu. Em uma cena digna de filmes de ação B, Jin arremessa sua motocicleta no helicóptero em que Kazyua se encontra.

Claro que isso seria fatal para uma pessoa normal, mas, para um Mishima que foi arremessado dentro de um vulcão ativo, lançado ao espaço e todo resto das tentativas de assassinato que ele sofreu, explodir um helicóptero não é nada. Kazuya não sofreu nenhum dano e cai no chão pronto para a luta. E é isso que acontece.

Jin e Kazuya lutam nas ruas de Nova York, enquanto Lars e o novato, Victor Chevalier, membro das forças independentes Nações Unidas (é outra Nações Unidas… Aquela que você está pensando já foi pro brejo a muito tempo), observam o combate, torcendo para que Jin possa resolver o problema de uma vez, mas, apesar dos esforços, Jin ainda não é páreo para enfrentar o pai.

Ambos despertam seus poderes demoníacos e continuam lutando, causando mais destruição ao lugar. Quando Kazuya se cansa da luta, ele liberar uma rajada destruidora e manda Jin para longe. Enquanto o mundo assiste o combate terminar com a vitória do CEO da Mishima Zaibatsu, Kazuya declara que em seu novo mundo apenas os mais fortes terão lugar e que os fracos serão eliminados. Para decidir quais países terão lugar em sua nova ordem mundial, ele declara a abertura de um novo torneiro do Rei do Punho Ferro.

Lutadores de todo o mundo assistem ao anúncio, cada um com suas próprias motivações e desejos, enquanto refletem sobre deter Kazuya, salvar sua nação e se tornar o novo dono da Mishima Zaibatu. Enquanto isso, Jin afunda lentamente em algum lugar de algum oceano e reflete sobre o porque sua força não é suficiente para vencer. Surge a imagem de Devil Jin oferecendo sua mão para salvá-lo, mas Jin rejeita aquela oferta e aquele poder. Ele deve entender seu lugar e seu destino se quiser ter força suficiente para vencer o pai. E assim começa oficialmente o novo torneiro do Rei do Punho Ferro.

Requisitos Mínimos e Recomendados de Tekken 8

Tekken 8 requer um computador potente para ser apreciado em toda sua glória. Veja os requisitos:

MÍNIMOS
Sistema OperacionalWindows 10 64-Bit
ProcessadorIntel Core i5-6600K/AMD Ryzen 5 1600
Memória8 GB de RAM
Placa de vídeoNvidia GeForce GTX 1050Ti/AMD Radeon R9 380X
DirectXVersão 12
RedeConexão de internet banda larga
Armazenamento100 GB de espaço disponível
Placa de somDirectX compatible soundcard/Onboard chipset
RECOMENDADOS
Sistema OperacionalWindows 10 64-Bit
ProcessadorIntel Core i7-7700K/AMD Ryzen 5 2600
Memória16 GB de RAM
Placa de vídeoNvidia GeForce RTX 2070/AMD Radeon RX 5700 XT
DirectXVersão 12
RedeConexão de internet banda larga
Armazenamento100 GB de espaço disponível
Placa de somDirectX compatible soundcard/Onboard chipset

Um jogo impressionante

Tekken 8 | bandai namco, luta, multiplayer, playstation, singleplayer, tekken, xbox | tekken 8: a briga pela herança da família mishima continua em um jogo cheio de pancadaria bruta | 3b3a5af8 tekken8 1 | análises
Tome um chutão

Para quem nunca jogou Tekken antes, a oitava versão da franquia é uma porta maravilhosa de entrada. Embora seja necessário um conhecimento prévio da trama para apreciar o modo história (o jogo oferece um resumo da saga em forma de filmes nas sessões de bônus) e conhecer os personagens para entender suas motivações e razões para estar no torneio, o jogo em si é batente acessível aos novatos.

Você pode pegar qualquer lutador, sair macetando os botões e ainda tem chance de ganhar do computador. Com o tempo, você vai aprendendo como os combos funcionam, como os lutadores se movem e melhora o seu desempenho. Com treino e persistência, você poderá entrar nas partidas online e vencer algumas partidas. Contudo, tem muita coisa bacana para se fazer antes de arriscar o online, caso não seja a sua praia (como é o meu caso).

Além do modo história, o jogo ainda oferece o modo de histórias dos personagens, com cinco lutas e um final mostrando o sucesso do personagem, em cenas que são bem divertidas e engraçadas. Você tem um modo de desafio Arcade, onde o seu avatar customizado, enfrenta outros personagens em um arcade para ser o campeão de Tekken 8. A história, bonitinha e feliz, funciona também como um tutorial para aprender as mecânicas do jogo.

Você também tem uma parte de customização de personagens, onde você pode liberar várias peças cosméticas para os lutadores com fighting money, cumprindo desafios, evoluindo seu nível de conta ou vencendo lutadores no modo arcade, para mudar o visual do seu lutador. Não há mudanças esta tisicas e nem modo de treinamento para deixar os lutadores mais fortes. Por último, o retorno do Tekken Ball, que se parece com um jogo de vôlei, com os lutadores.

Pancadaria Forte, Lutadores Brutos

Os lutadores de Tekken são grandes, parrudos e fortes. Lembrando muito os personagens de World of Warcraft, por exemplo. O mais magro dos lutadores tem um aspecto de que tem músculos em cima dos músculos.

Todo mundo ali é body builder! E isso se reflete nas pancadas dadas e recebidas nas lutas. Você sente bem o peso de cada soco e cada golpe faz você pensar que aquele cara não vai levantar do chão pelos próximos meses.

Isso dá uma sensação boa em cada vitória e cada combate. Faz você querer aprender mais e vencer os lutadores seguintes ou revidar os golpes tomados. E é preciso tomar cuidado ao ser pego em um combo, pois, o jogo pode acabar com apenas uma boa sequência bem aplicada. Algo que os jogos de luta 3D, como Virtua Fighter ou Dead or Alive e o próprio Tekken, é aquela irritante sequência que faz você ficar quicando nos golpes do adversário.

O golpe do lutador vai te levantar no ar e os próximos golpes vão ficar te acertando, enquanto você fica no ar, indefeso e impossibilitado de reagir, até que você esteja fora do alcance dos hits e possa cair no chão, para tentar se levantar. Mas, mesmo no chão, o lutador continua te chutando e impedindo a sua recuperação. Você tem que ficar apertando qualquer coisa para ver se sai daquela sequência ou esperar que o lutador adversário termine. E quando ele termina, em geral, sua barra de energia está na metade.

Jin kazama
Jin Kazama

O game também introduz alguns elementos como o Rage Art e o Heat System. O Rage Art é ativado quando sua energia está em 25% ou menos e ativa uma sequência de golpes especiais que causam um dano massivo ao adversário. É o equivalente de algum golpe especial ou ataque Raio-X de Mortal Kombat, por exemplo. Apenas acerte o adversário e curta a pancadaria que pode ser decisiva para virar o jogo. Você só pode ativar o Rage Art uma vez por combate.

Já o Heat System é uma mecânica nova que ao ser acionada permite que você ganhe um bônus de dano nos golpes, força extra e velocidade. Você também pode ativar uma sequência de golpes especiais e bater com força no inimigo. A diferença desse Heat para o Rage é que o Heat ainda permite que você regenere um pouco da sua energia vital, desde que você não continue apanhando. Este pode ser ativado em qualquer momento da luta e também só pode ser usado uma vez por combate.

Apenas para mencionar

Como não poderia deixar de ser, o jogo tem alguns problemas, mas aqui, eu tenho que mencionar apenas as coisas que aconteceram comigo e, ao contrário de alguns games mais recentes, foram bem poucos. Aliás, o único problema que posso indicar aqui que aconteceu comigo foram alguns momentos de lentidão durante as cutscenes e animações de vitória. As cenas se tornavam um pouco lentas, a fala ficava um pouco mais alongada (parecia que o personagem estava com sono) e a legenda dessincronizava. Não era uma queda de quadros e sim lentidão.

É um problema que atrapalha durante o combate? Não! Esse problema não afetava nas lutas e sim apenas nos momentos de cinemática. Realmente era algo meio esporádico e que acontecia apenas em algumas cenas e não interferia no combate. Fora isso, não encontrei nenhum bug ou problema no jogo.

Azucena
Azucena

Uma coisa que eu realmente achei estranho no jogo foram as personagens femininas. Enquanto os lutadores masculino tem corpos largos, grandes e brutos, as garotas têm, como era de se esperar, aquele corpo “padrão” de supermodelo. E não, antes que comecem a gritar “lacração”, este não é o problema. O problema é que elas parecem um pouco desproporcionais em relação ao tamanho da cabeça.

Por exemplo, a personagem Marisa de Street Fighter 6 é uma lutadora grande e forte. Mas, seu corpo e sua cabeça são proporcionais. Cammy é uma personagem “padrão” e forte, e também é proporcional. Em Tekken 8, as meninas parecem ter aquele corpo “padrão” e, ao mesmo tempo, tem o corpo largo dos personagens masculinos, ficando com uma cabeça que parece ser menor que o corpo. Isso é possível reparar bem na personagem Azucena. Coloquem nela o biquíni que tem como roupa alternativa e verão que tem algo “estranho” no tamanho da cabeça em relação ao corpo.

Afinal, é bom ou não é?

Ao contrário dos últimos jogos que revisei que dizia que o jogo pode não valer o preço dele, exceto que você seja um fã muito grande da franquia em questão, aqui eu posso dizer que Tekken 8 vale sim o valor do seu jogo base! Se você quer um bom jogo de luta, vá tranquilo para a Steam e pegue seu Tekken 8 pois o jogo está muito legal. Ou espere por uma promoção, mas é um jogo que vale o valor.

Agora, não posso dizer o mesmo de suas versões Deluxe e Ultimate, que tem valores mais altos e entregam apenas itens cosméticos para seu personagem e avatar. O mais relevante seria a inclusão de novos personagens quando forem lançados (o primeiro prometido é o capoeirista Eddy Gordo). Exceto que você seja um fã incondicional da franquia, pagar 400 reais para uma série de cosméticos não parece um bom negócio.

No final das contas, Tekken 8 é sim um jogo muito bom e com uma pancadaria bem forte, para quem gosta do gênero. Aproveite uma promoção e compre o pacote mais básico quando puder e vá com tudo para cima do campeão do torneiro Rei do Punho de Ferro. Para mim, mesmo com Street Fighter 6 e Mortal Kombat 1 no mercado, Tekken 8 é o atual campeão do torneio de jogos de luta de 2024.

Tekken 8

Paulo “Doido” Fabris

Gráficos
Jogabilidade
Música
Diversão

Ficha Técnica

Desenvolvedor: Arika, BANDAI NAMCO Studios, Tekken Project
Estúdio: Bandai Namco
Plataformas: PlayStation 5, Microsoft Windows, Xbox Series X e Series S
Gênero: Luta

Prós:
Excelente história;
Gráficos de última geração;
Dificuldade balanceada;

Contras:
Alguns momentos de lentidão

5

Fale conosco nos comentários e diga oque achou dessa matéria e aproveite para ler mais notícias e matérias, como por exemplo, sobre Prince of Persia: The Lost Crown, no nosso site.

Saiba se vale a pena jogar Fabledom
Quer dar vida aos seus modelos 3D com texturas impressionantes? Continue lendo para aprender tudo sobre o processo de mapeamento UV do Blender!
Saiba mais sobre a espetacular memória RAM DELTA TUF RGB DDR5
Quer saber se vale a pena jogar a última obra de Akira Toryama? Então veja nossa analise de Sand Land
Conheça o robusto HD portátil SSD T-FORCE M200
Aprenda como enviar comandos aos personagens do seu jogo com o Signals no Godot