Pesquisar
Close this search box.

Prince of Persia: The Lost Crown – Uma Nova Era na Lendária Franquia

Prince of Persia: The Lost Crown traz uma nova história para o mundo das mil e uma noites da Ubisoft

Em “Prince of Persia: The Lost Crown” (site oficial), somos imersos em uma aventura que transcende o tempo, reacendendo a chama de uma das franquias mais icônicas da história dos videogames. A Ubisoft, com sua maestria em narrativas envolventes, apresenta-nos a Sargon, um personagem que, embora novo, carrega o legado de seus antecessores com uma graça surpreendente.

Membro de uma elite de guerreiros chamados de Imortais e dotados de poderes mágicos e misteriosos, essa tropa a serviço do rei e do príncipe da Persia, liderados por Sargon deve embarcar em uma jornada para resgatar o herdeiro do trono, vítima de uma traição e de um inimigo maior e mais assustador do que ele parece.

O jogo, desenvolvido com uma mistura magistral de elementos 2.5D, promete não apenas atrair os fãs de longa data, mas também capturar a imaginação de novos jogadores.

A grande questão que permeia este lançamento é: conseguirá “The Lost Crown” estabelecer-se como um novo marco na série? Convido-os a mergulhar nesta análise e deixar suas opiniões nos comentários.

Os Hashans Atacam

O jogo começa com a narração falando como a dificuldade com o clima e a falta de terras férteis fez os Hashans, guerreiros do leste atacarem a Persia e como eles estavam devastando os exércitos defensores. O General Hashan, Uvishka, sentindo a vitória fácil que conseguiria se tornou mais confiante e apareceu no campo de batalha em pessoa.

Mas, ele não contava com a intervenção dos guerreiros Persas chamados de Imortais, liderados pelo jovem Sargon. É aí que você começa aprendendo sobre os controles básicos do game como ataque, pulo e defesa com o sistema de “parry”, uso de poções de recuperação, pulo na parede, e por fim, seu ataque especial ao reunir energia o suficiente para ativar o golpe.

Você enfrenta um general Uvishka gigante e, ao derrotá-lo, expulsa os Hashan da Persia. Quando você volta ao palácio, é recebido como um grande herói e recebe honrarias do rei e do príncipe da Persia. Mas, é exatamente aí que os problemas de verdade vão começar.

Requisitos Necessários

TítuloPrince of Persia: The Lost Crown
DesenvolvedoresUbisoft, Ubisoft Montpellier
PublisherUbisoft
PlataformasNintendo Switch, PlayStation 5, PlayStation 4, Xbox Series X e Series S, Xbox One, Microsoft Windows, Amazon Luna
GênerosPlataforma, ação e aventura, quebra-cabeça
Requisitos Mínimos
ProcessadorIntel Core i5-4460 de 3,4 GHz, AMD Ryzen 3 1200 de 3,1 GHz
Placa de vídeoNVIDIA GeForce GTX 950 (2 GB de VRAM) ou AMD Radeon RX 5500 XT (4 GB de VRAM)
RAM8 GB (Configuração de canal duplo)
Armazenamento30 GB
Versão do DirectXDirectX 11
Sistema operacionalWindows 10 (somente 64 bits)
Requisitos Recomendados
ProcessadorIntel Core i7-6700 de 3,4 GHz, AMD Ryzen 5 1600 de 3,2 GHz
Placa de vídeoNVIDIA GeForce GTX 960 (4 GB de VRAM) ou AMD Radeon RX 5500 XT (4 GB de VRAM)
RAM8 GB (Configuração de canal duplo)
Armazenamento30 GB
Versão do DirectXDirectX 11
Sistema operacionalWindows 10 (somente 64 bits)

A Evolução de Prince of Persia: Uma Odisseia Através das Décadas

A franquia “Prince of Persia” é uma tapeçaria rica em inovação e evolução. Desde o seu nascimento nas mãos do visionário Jordan Mechner nos anos 80, o jogo definiu e redefiniu gêneros, misturando habilmente ação, aventura e quebra-cabeças com uma narrativa envolvente. Os primeiros títulos, com sua jogabilidade inovadora e animações fluidas para a época, estabeleceram um novo padrão para os jogos de ação e aventura.

Com o passar dos anos, a série passou por várias iterações, cada uma adicionando camadas de complexidade e riqueza ao mundo e à história. “Sands of Time”, por exemplo, foi aclamado por sua mecânica de manipulação do tempo e por introduzir uma narrativa mais profunda, solidificando a série como uma força a ser reconhecida no mundo dos jogos.

Cada sequência e remake trouxe consigo uma tentativa de inovar, mantendo-se fiel ao coração da franquia: uma narrativa cativante, ambientada em um mundo exótico e perigoso. E agora, com essa nova jornada de Sargon, uma história que se passa naquele mundo mágico, mas diferente de o que já foi visto antes, começa.

A Magia do 2.5D e a Beleza de Metroidvania

“The Lost Crown” se destaca por sua abordagem no design 2.5D, um híbrido fascinante que une o charme clássico dos jogos de plataforma lateral com a profundidade e imersão tridimensional. Esta escolha estilística não é apenas uma homenagem aos jogos anteriores da franquia, mas também um passo adiante na inovação, oferecendo uma experiência visualmente deslumbrante e jogabilidade intuitiva.

Além do estilo 2.5D, o game tem cutscenes que se parecem com um pintura animada ao estilo de arte fantástica. Os diálogos acontecem ao estilo Visual novel, com os personagens ao fundo, fazendo algum movimento corporal, enquanto o texto é escrito em uma caixa de dialogo no canto inferior da tela com uma imagem do personagem que está falando.

O estilo Metroidvania, conhecido por sua exploração não linear e progressão baseada em habilidades, enriquece ainda mais essa experiência. Neste mundo, cada canto esconde segredos e desafios, incentivando os jogadores a explorar cada detalhe deste reino persa ricamente construído.

O equilíbrio entre a exploração e o desafio é primorosamente mantido, oferecendo aos veteranos da série a complexidade que eles anseiam, enquanto também acolhe novos jogadores com sua jogabilidade acessível e intuitiva. A decisão de adotar o estilo Metroidvania foi um acerto, proporcionando um frescor necessário à série e um novo ângulo para a exploração do rico lore de Prince of Persia.

Desafio e Acessibilidade: Uma Dança Delicada

O equilíbrio entre desafio e acessibilidade em “The Lost Crown” é uma das suas características mais notáveis. O jogo oferece um nível de dificuldade que, embora desafiador, não se torna intransponível. Isso é um aceno significativo aos fãs de longa data da série, que se deliciam em superar obstáculos aparentemente impossíveis.

Prince of persia: the lost crown
Prince of Persia: The Lost Crown

Essa abordagem de design cria uma experiência que é recompensadora e gratificante para aqueles dispostos a investir o tempo e o esforço necessários para dominar suas nuances. Para os jogadores menos experientes, no entanto, pode ser necessário um período de adaptação para se familiarizarem com os ritmos e desafios do jogo.

No entanto, essa mesma dificuldade pode ser um ponto de frustração para jogadores mais casuais, que podem encontrar barreiras em algumas das seções mais exigentes do jogo. A Ubisoft fez um bom trabalho ao equilibrar esses dois aspectos, mantendo o jogo desafiador mas justo, e oferecendo uma curva de aprendizado que é íngreme, mas progressivamente recompensadora.

Uma Abordagem Honesta à Monetização

Em uma era onde as microtransações e conteúdos pagos dominam o cenário dos jogos, “The Lost Crown” adota uma postura refrescante. Até o momento, o jogo se mantém livre de microtransações invasivas, permitindo que os jogadores desfrutem da experiência completa sem a necessidade de desembolsar mais dinheiro após a compra inicial. Esta decisão é digna de elogios, especialmente considerando a tendência da indústria em direção à monetização agressiva.

Embora exista a possibilidade de conteúdos pagos serem introduzidos no futuro, a Ubisoft merece reconhecimento por lançar um jogo que se sustenta por si só, sem depender de compras adicionais para oferecer uma experiência completa e satisfatória. Isso não só respeita o investimento do jogador, mas também reforça a qualidade do jogo como uma obra completa, não dependente de compras adicionais para ser apreciada em sua totalidade.

Uma Trilha que Complementa a Aventura

A trilha sonora de “The Lost Crown” merece uma menção especial. As composições são não apenas agradáveis aos ouvidos, mas também complementam perfeitamente a atmosfera do jogo. Cada melodia e acorde parece ter sido meticulosamente escolhido para realçar a imersão no mundo do jogo, desde as tensas perseguições até os momentos de calmaria e reflexão.

Esta harmonia entre a música e a jogabilidade é um testemunho do cuidado e da atenção aos detalhes da Ubisoft. A música ajuda a contar a história, estabelecendo o tom para as aventuras e desafios que Sargon enfrenta.

Prince of persia: the lost crown
Prince of Persia: The Lost Crown

Uma curiosidade interessante e um toque de autenticidade em “The Lost Crown” é a inclusão da dublagem em persa. Esta escolha não apenas homenageia o patrimônio cultural que inspirou a série, mas também oferece uma camada adicional de imersão para os jogadores. Ouvir os personagens falando na língua que reflete sua origem histórica e cultural adiciona uma dimensão de realismo e profundidade ao jogo.

Esta decisão é um exemplo da dedicação da Ubisoft em criar uma experiência autêntica e respeitosa. A dublagem em persa não é apenas um detalhe cosmético; ela se torna uma parte integral da narrativa, permitindo que os jogadores se conectem mais profundamente com o mundo e seus habitantes. É um gesto que mostra um profundo respeito pela cultura que inspirou a franquia e uma vontade de ir além do convencional para criar uma experiência verdadeiramente única.

Jogabilidade: Simples, Mas Eficaz

A jogabilidade de “The Lost Crown” segue uma filosofia de “menos é mais”. Embora não introduza mecânicas revolucionárias, o jogo aperfeiçoa as fundamentais. Sargon move-se com uma fluidez que é ao mesmo tempo familiar e refrescante. Os saltos e esquivas são intuitivos, permitindo que os jogadores naveguem por obstáculos como serras gigantes e poços de espinhos com uma graça quase balletística.

Essa simplicidade na jogabilidade é uma força, não uma fraqueza. Ela permite que os jogadores se concentrem na história e na exploração, sem se sobrecarregarem com controles complicados ou mecânicas excessivas. “The Lost Crown” prova que, às vezes, aperfeiçoar o básico é tudo o que é necessário para criar uma experiência de jogo envolvente e memorável.

Expectativas dos Fãs e o Legado de Sands of Time

Após um longo hiato na série “Prince of Persia”, a expectativa dos fãs por um novo jogo que seguisse os passos dos aclamados títulos da série “Sands of Time” era imensamente alta. Essa trilogia não só redefiniu o gênero de aventura e ação, mas também deixou uma marca indelével na memória dos jogadores, com sua narrativa cativante, mecânicas inovadoras de manipulação do tempo, e ambientes ricos em detalhes.

A notícia de um remake de “Sands of Time” inflamou ainda mais essas expectativas, prometendo trazer de volta a magia daqueles jogos com uma roupagem moderna. No entanto, a falta de atualizações sobre o remake e o silêncio prolongado sobre a franquia apenas aumentaram o anseio e a curiosidade dos fãs.

Nesse contexto, “Prince of Persia: The Lost Crown” surge como uma resposta ambígua a essas expectativas. Embora traga um novo sopro de vida à franquia com sua abordagem inovadora e personagem intrigante, ele se desvia significativamente dos elementos que fizeram de “Sands of Time” um marco na indústria dos jogos.

Esse desvio pode ser visto tanto como uma evolução necessária quanto uma surpresa para aqueles que ansiavam por uma experiência mais alinhada com os clássicos da série. Portanto, enquanto “The Lost Crown” é uma adição valiosa e bem-vinda à franquia “Prince of Persia”, ele também representa um novo caminho que pode não atender completamente às expectativas daqueles que esperavam um retorno às raízes de “Sands of Time”. A ausência de notícias sobre o remake apenas intensifica essa sensação de incerteza e expectativa, deixando os fãs em um limbo de esperança e nostalgia.

Afinal, é Bom ou Não?

“Prince of Persia: The Lost Crown” é uma adição digna à ilustre franquia. Ele respeita seu legado ao mesmo tempo em que trilha novos caminhos, oferecendo uma experiência que é ao mesmo tempo familiar e inovadora. Seja pela sua abordagem visual estilizada, sua jogabilidade equilibrada, ou sua trilha sonora imersiva, o jogo é um testamento à habilidade da Ubisoft de continuar evoluindo sem perder a essência do que torna a série tão especial.

Para os fãs de longa data, “The Lost Crown” é uma jornada nostálgica e emocionante. Para os novatos, é uma introdução perfeita a um mundo rico em história e aventura. Em uma era de jogos saturados de microtransações e conteúdos pagos, este título se destaca como um exemplo brilhante de como criar uma experiência de jogo rica e completa.

Prince of Persia: The Lost Crown

Prince of Persia: The Lost Crown

Paulo “Doido” Fabris

The lost crown | 2. 5d, playstation, prince of persia, singleplayer, ubisoft, xbox | prince of persia: the lost crown - uma nova era na lendária franquia | 2fbc2e57 capa 1 | análises
Gráficos
Jogabilidade
Músicas
Diversão

Sumário

Desenvolvedores: Ubisoft, Ubisoft Montpellier
Publisher: Ubisoft
Plataformas: Nintendo Switch, PlayStation 5, PlayStation 4, Xbox Series X e Series S, Xbox One, Microsoft Windows, Amazon Luna
Gêneros: Plataforma, ação e aventura, quebra-cabeça

Prós
Desafiador;
Bonito e com músicas envolventes;
Boa introdução a uma nova série;

Contras
Frustrante em alguns momentos;
Não era o que os fãs esperavam;

4

“The Lost Crown” não é apenas mais um capítulo na história de Prince of Persia; é um renascimento, um lembrete de como os jogos podem ser mágicos, envolventes e, acima de tudo, divertidos. Convidamos você a experimentar essa aventura e compartilhar suas impressões. Será que este jogo consegue viver à altura do legado de Prince of Persia? Sua opinião é valiosa para nós, então por favor, deixe seus comentários abaixo.

Fale conosco nos comentários e diga oque achou dessa matéria e aproveite para ler mais notícias e matérias, como por exemplo, sobre nosso Review sobre Esquadrão Suicida: Mate a Liga da Justiça, no nosso site.

Saiba como acabar de vez com o erro OpenGL no Blender
Sua carreira do sonhos é ganhar muito dinheiro Criando Jogos? Então veja como dar os primeiros passos
Jogo de ação com múltiplas batalhas superpoderosas apresenta narrativa inédita ambientada no mundo dos quadrinhos de Invincible, da Skybound Comics
Desenvolvedores independentes e artistas podem inscrever seus projetos gratuitamente para participar do BIG Festival 2024 e Artists' Alley, na gamescom latam 2024
Conheça Sites para Criar Jogos e crie seus games sem baixar ou instalar nada
Quer saber como Desenvolver Jogos no Celular? Veja esses aplicativos