Pesquisar
Close this search box.

One Piece Odyssey: Mais uma das Aventuras do Pirata que Estica

One Piece Odyssey é um jogo do pirata que estica casual, amigável aos novatos e com bastante coisa pros veteranos verem e reverem

One Piece, um anime muito muito longevo, estreou lá na década de 90 e está no ar a mais de 20 anos, acompanhando as aventuras de Luffy e a tripulação do Chapéu de Palha.

Além dos incontáveis episódios (que já até bateram a quantidade de Os Simpsons), a série também conta com vários e vários jogos, filmes animados e, em breve, uma série produzida pela Netflix.

Entre esses vários jogos, o mais recente é o RPG de turnos, One Piece Odyssey (site oficial), que experimentamos na BGS 2022 e, por cortesia da Bandai Namco, tivemos a oportunidade de jogar o jogo completo e experimentar essa história dos piratas que continuam a anos em busca do lendário tesouro e vamos dizer para você se o jogo vale a pena.

Já podemos adiantar que, se você não conhece o anime, talvez seja legal se familiarizar um pouco com os personagens, pois isso fará você curtir muito mais a aventura e, se você ficar com dúvidas, é só deixar nos comentários.

E se você for começar a jogar, não se esqueça de ver as nossas dicas para One Piece Odyssey que temos no site!

Uma Odisseia pela Grande Linha

O jogo começa com uma cutscene mostrando cada um dos membros da tripulação do Chapéu de Palha em meio a uma tempestade, cada um deles mostrando suas habilidades e poderes para livrar o navio de ser atingido por algo. Zoro, o espadachim corta com suas espadas, Luffy usa seus poderes de esticar para dar socos, Robin usa suas múltiplas mãos para proteger o navio em uma cena muito bem animada e cheia de ação.

Título do jogoOne Piece Odyssey
DesenvolvedoraILCA
PublisherBandai Namco
GênerosRPG
PlataformasPlayStation 5, Nintendo Switch, Microsoft Windows, Xbox Series X e Series S
PlayersSingleplayer
Tem coop local?Não
Tem coop online?Não
DLCsSim
Requisitos Mínimos
Sistema OperacionalWindows 10 (com o pacote de serviços mais recente)
ProcessadorIntel Core i5-6600 ou AMD Ryzen 5 2400G
Memória8 GB de RAM
Placa de vídeoGeForce GTX 780 ou Radeon R9 290X
DirectXVersão 11
Conexão de internetNão
Armazenamento35 GB de espaço disponível
64 bits?Sim
Requisitos Recomendados
Sistema OperacionalWindows® 10 64-bit (com o pacote de serviços mais recente)
ProcessadorIntel Core i5-8400 ou AMD Ryzen 3 3100
Memória8 GB de RAM
Placa de vídeo GeForce GTX 1060 ou Radeon RX 590
DirectXVersão 11
Conexão de internetNão
Armazenamento35 GB de espaço disponível

Quando tudo se acalma, estamos presos em uma ilha desconhecida e, alguns de nossos colegas, como Nami e Brook estão desaparecidos, e o navio está afundando. Frank, nosso amigo ciborgue e responsável por consertar o barco, se oferece para ir tirá-lo da água e consertá-lo, enquanto o resto vai atrás dos colegas desaparecidos.

Nesse momento, podemos começar a controlar Luffy e vamos explorar a ilha para um pequeno tutorial, onde aprendemos como usar os poderes elásticos para navegar pelo cenário, pegar itens e etc. Surgem alguns inimigos e vamos para o combate. Aqui nossos personagens mostram todos seus poderes. Então finalmente encontramos Nani e ela está em apuros. Ela foi pega por um enorme macaco e agora cabe a nós salvá-la.

One piece odyssey
Kong está cheio das macaquices para cima de Nami

Vamos aprendendo mais um pouco sobre o combate no tutorial, como mudar de personagem, mudar de campo para se aproximar dos inimigos, usar itens de cura, personagens que estão sob efeitos, como a paralisia, e o uso de poderes.

Quando chegamos no macaco chamado Kong, então lutamos contra um chefe-inimigo mais forte e finalmente resgatamos Nami que havia caído próximo ao macaco e agora estava pronto para fazer alguma coisa com ela. Não sabemos se ele ia devorá-la ou se estava apaixonado. Melhor deixar para lá.

Quando voltamos para a praia onde naufragamos, começamos a prestar atenção em uns estranhos blocos de pedra com entalhes, mas não temos nenhuma ideia do que é aquilo e focamos em algo mais importante: achar o chapéu de Luffy. Voltamos a explorar a ilha só para encontrar mais inimigos poderosos e uma menina de cabelos pretos, chamada Lin, que ao tocar nos personagens faz com que eles percam seus poderes (que se transformam naqueles cubos estranhos que vimos antes).

A garota vive na ilha de Waford, junto com Adio, um estranho e forte rapaz, que nos ajudam a enfrentar um poderoso robô e protegem a ilha de pessoas estranhas. Agora, cabe a tripulação do chapéu de palha descobrir como recuperar os poderes e sair da ilha estranha. Mas, é claro, como qualquer coisa nas histórias da tripulação dos piratas do Chapéu de Palha, sabemos que isso é só o começo da aventura.

Um Jogo para Fãs

One Piece Odyssey é o mais recente de uma longa linha de jogos da Bandai Namco para explorar os personagens de One Piece e o mundo criado por Eiichiro Oda. Este é um JRPG do desenvolvedor ILCA e oferece uma grande nova aventura para fãs de longa data e novatos, mas leva um tempo para perceber seu potencial.

Quando One Piece Odyssey começa, Luffy e seus amigos estão navegando em seu leal navio quando se veem presos em uma tempestade espetacular. O navio e sua tripulação desembarcam em uma ilha, onde uma mulher misteriosa drena os poderes de todos. Para recuperar suas forças, os heróis devem derrotar quatro guardiões, um projeto que equivale ao suicídio, a menos que primeiro mergulhem em suas memórias de aventuras passadas.

Enquanto navegam em versões distorcidas de eventos anteriores, eles encontram velhos aliados e inimigos familiares (felizmente, eles não encontram muitos dos personagens mais desanimadores de One Piece) e trabalham para fortalecer seus laços.

Eles esperam que suas ações eventualmente lhes permita retornar às suas aventuras de pirataria em busca do tesouro lendário do pirata Gold Roger navegando pela Grande Rota.

One piece odyssey
Luffy e sua tripulação

Sua história tem alguns momentos inspirados, mas os desenvolvimentos mais interessantes de One Piece Odyssey não ocorrem até o início da campanha. Os jogadores começam lutando contra inimigos descartáveis e se familiarizando com as habilidades que os personagens podem usar fora do combate.

Os vários outros membros do grupo têm habilidades secundárias importantes que lhes permitem fundir acessórios, quebrar portões, localizar itens preciosos e assim por diante. Essas habilidades dão vida aos mundos que eles exploram e, com várias missões secundárias e desenvolvimentos de enredo, fornecem incentivo para revisitar o antigo terreno muito mais tarde na campanha.

Em combate, que não é um dos sistemas de combate baseados em turnos mais exclusivos em um JRPG mas ainda parece razoavelmente novo, os personagens possuem habilidades para se adequar à sua natureza. Essas habilidades consomem TP, que os heróis reabastecem usando ataques corpo a corpo nos inimigos (ou devorando itens consumíveis e equipando certos equipamentos). Os medidores de TP passam de uma batalha para outra, forçando os jogadores a confiar em uma variedade de habilidades e monitorar recursos enquanto exploram novas áreas.

As forças elementares também desempenham um papel; inimigos diferentes podem ser fracos a ataques que os congelam, chocam ou queimam, e os heróis têm afinidades próprias. Também é possível alternar livremente entre os membros ativos do grupo em batalha, ou mesmo trocá-los por unidades de reserva. Essa mecânica mais solta das várias liberdades, mas vem com restrições de que os jogadores não podem pular convenientemente a maioria das batalhas simplesmente apertando um único botão.

Tome um Socão de Borracha

As batalhas começam quando os jogadores esbarram em inimigos patrulhando que são visíveis antes do tempo. Ataques de surpresa são raros e os beacons de save point tendem a preceder os encontros com chefes. Os jogadores geralmente podem evitar mobs padrão completamente sem perder o loot, já que os longos braços de Luffy podem pegar a maioria das coisas de uma distância segura.

One piece odyssey
Luffy perde os poderes

Evitar confrontos funciona bem porque raramente é necessário “grindar XP”. O combate geralmente apresenta objetivos especiais (como um inimigo específico para derrotar em um determinado número de turnos) que geram uma série de pontos de experiência bônus para compensar confrontos ocasionais que os jogadores podem pular.

Depois de algumas batalhas, os personagens podem ganhar vários níveis de uma só vez, mesmo quando não estão enfrentando chefes. Não é um dos melhores JRPGs para jogar se a pessoa adora grindar, mas isso provavelmente é uma boa notícia para todos os outros.

Jogadores experientes perceberão que a melhor maneira de conseguir um personagem forte é comprar, fundir e equipar os melhores acessórios disponíveis. O sistema de fusão permite níveis ridículos de customização, já que qualquer personagem pode desenvolver a habilidade de bater forte, se defender bem contra ataques especiais ou doenças de status, ou até mesmo restaurar passivamente saúde e TP.

Os pontos mais delicados dessa mecânica podem inicialmente ser assustadores para os recém-chegados ao gênero, mas os veteranos de franquias mais estratégicas logo reconhecerão o potencial. Em seguida, eles podem fazer um jogo de demolição de inimigos com mais eficiência, o que atua como um contador adicional para alguns dos elementos mais tediosos do jogo. As batalhas terminam muito rapidamente quando os heróis são devidamente equipados.

O Navio de One Piece Odyssey Demora a Zarpar

A aventura é legal, mas ela demora a engrenar. Você começa enfrentando alguns inimigos muito fracos, tem pouco desafio e os puzzles são simples. Em outras palavras, a parte mais arrastada está no início da aventura, antes que o jogo tenha tido tempo de construir qualquer ligação com os jogadores.

Para piorar as coisas, as áreas de abertura são lineares até que você erre. Se você quiser explorar a área um pouco e pegue uma trilha diferente do caminho indicado, o jogador é transportado sem cerimônia de volta ao único caminho certo, o que parece desnecessariamente restritivo.

One Piece Odyssey apresenta mundos lindamente construídos, incluindo cidades portuárias, masmorras e ruínas do tipo que se pode esperar encontrar em um jogo sobre piratas e ilhas paradisíacas. No entanto, um dos ambientes mais extensos é um amplo deserto com uma série de cavernas interligadas. É um grande mundo de cenários menos animados, o que é uma pena, já que os jogadores deverão permanecer por lá por muito tempo no início de sua aventura.

Felizmente, os destinos subsequentes apresentam ambientes mais intrigantes e contam histórias mais dinâmicas, garantindo que a aventura melhore à medida que avança. Há também uma abundância de objetivos de bônus e missões secundárias que oferecem recompensas substanciais e distrações agradáveis, garantindo que One Piece Odyssey demore um bom tempo para ser concluído.

Um visual novel de piratas?

O conteúdo secundário mais notável conta histórias intrigantes sobre NPCs notáveis dentro das memórias mais amplas, que têm grandes problemas para os heróis resolverem. As recompensas por ajudá-los são novos combos de grupo que se mostram letais em batalha, com oportunidades adicionais para explorar os temas abrangentes de amizade e sacrifício. Mas, falta um pouco de emoção nessas histórias.

Uma das coisas que mais me desanimou no jogo foram os momentos de história “parada”. Apesar das boas cutscenes, a maior parte da história é contada por personagens em pose “standard” (braços abaixados colados ao corpo) e expressões neutras, exceto em algumas falas mais exageradas, onde vemos aquelas caretas típicas do anime, como olhos redondos sem pupilas, olhos de coração do Sanji e bocas enormes com dentes pontudos para representar raiva. Em alguns momentos há algum movimento de braços ou de corpo, mas, na maior parte, parece um visual novel.

One piece odyssey
Todo mundo parado

One Piece Odyssey é fácil de curtir mesmo para quem não conhece muito sobre o anime porque é tão complacente para novatos e veteranos do gênero.

Ele oferece vários acenos de boas-vindas ao design acessível – as principais mecânicas são introduzidas adequadamente e todas as instruções permanecem facilmente acessíveis depois disso, além de pontos de interesse geralmente destacados claramente nos mapas da área.

Se as batalhas começarem a se arrastar, os jogadores podem acelerar as longas animações de combate que acompanham os movimentos mais poderosos. Os principais diálogos na batalha e nas cenas do evento são dublados em japonês, com legendas que localizam tudo com competência para pessoas que não entendem o idioma.

Belas composições instrumentais tocam ao fundo e não requerem tradução para transmitir o clima apropriado sem se tornarem cansativas, mesmo depois de uma pessoa ter passado dezenas de horas dentro do mundo do jogo.

Afinal, é bom ou não é?

One Piece Odyssey é uma aventura emocionante graças ao seu combate envolvente, personalização libertadora de personagens e belos ambientes. Às vezes, as escolhas de design limitam a ação do jogador, mas o efeito raramente dura muito.

O resultado final é um JRPG satisfatório que deve manter os fãs viciados, desde que passem pelas esquecíveis primeiras horas e aproveitem os vários sistemas. Depois de alguns remendos iniciais, o jogo atinge a maior parte de seu potencial e é fácil de recomendar tanto como uma experiência de One Piece quanto como um JRPG.

One Piece Odyssey

Paulo “Doido” Fabris

Gráficos
Jogabilidade
Música
Diversão

Ficha Técnica

Desenvolvedor: ILCA
Estúdio: Bandai Namco
Plataformas: PlayStation 5, Nintendo Switch, PlayStation 4, Xbox One, Microsoft Windows, Xbox Series X e Series S
Gênero: RPG

Prós:
Personagens Carismáticos e divertidos;
História mostrando importantes acontecimentos do anime que farão os fãs sentirem um pouco de nostalgia;
Relativamente fácil e casual;

Contras:
Demora a engrenar;
Pouco animado;
Fácil demais;

4

FAQ Rápido

One Piece Odyssey já foi lançado?

O jogo foi anunciado durante a Tokyo Game Show e chegará no início do ano seguinte, em 13 de janeiro de 2023.

Quem está produzindo One Piece Odyssey?

A Bandai Namco lançou um novo trailer na quinta-feira anunciando One Piece Odyssey, o próximo JRPG baseado no anime e mangá One Piece, está chegando ao PlayStation 4, PlayStation 5, Windows PC e Xbox Series X em 13 de janeiro.

One Piece Odyssey é canônico?

Não. O jogo One Piece Odyssey não faz parte do cânone da série, assim como os outros jogos da série.

One Piece Odyssey será lançado para Xbox One?

Até o momento, não há previsão de lançamento para o jogo no Xbox One, apenas para o Xbox Series X e Series S. O que é estranho, já que o game chegará ao PlayStation 4.

O famoso pirata, Monkey.D.Luffy, mais conhecido como Luffy Chapéu de Palha, e sua Tripulação do Chapéu de Palha, estão navegando pelo Novo Mundo em busca da próxima ilha e da próxima aventura que os aguarda.

No entanto, durante a viagem, eles são pegos por uma tempestade. A tripulação percebe que ficou encalhada em uma ilha tropical cercada por tempestades violentas constantes… Longe de sua tripulação, Luffy parte em uma nova aventura grandiosa para encontrar seus amigos e fugir da ilha Novos inimigos poderosos, forças da natureza e muito mais aguardam! Jogue com vários integrantes da Tripulação do Chapéu de Palha em um RPG clássico no mundo do famoso anime ONE PIECE!

One Piece Odyssey está disponível para todos os consoles atuais e da geração anterior. Isso inclui o PlayStation 4, PS5, Xbox Series X/S e PC. Fale conosco nos comentários e diga oque achou dessa matéria e aproveite para ler mais notícias e matérias, como por exemplo, o review de The Sims 4: Tomando as Rédeas, no nosso site.

Durante a conferência TecToy Showcase, transmitida on-line neste sábado (22), fabricante revelou detalhes dos primeiros produtos da Zeenix, sua nova divisão gamer
BioWare abraça suas raízes narrativas em um RPG single player; Assista uma emocionante sequência de gameplay estendida que prepara a história e os desafios
TEAMGROUP na Computex 2024 apresenta novos produtos com o lema: "Elevate Gaming . Empower AI"
Saiba se vale a pena jogar Fabledom
Quer dar vida aos seus modelos 3D com texturas impressionantes? Continue lendo para aprender tudo sobre o processo de mapeamento UV do Blender!