Pesquisar
Close this search box.

Review Amnesia The Bunker: A Guerra Não é o Único Terror Aqui

Vale a pena jogar Amnesia The Bunker? Saiba se o jogo de terror é ou não para você

Recentemente fui “convidado” a jogar Amnesia The Bunker (site oficial) por minha noiva, grande fã da franquia, e a experiência é bem intensa. Eu particularmente não sou fã (tenho medo de jogar) de games de terror. Me lembro da febre de Slenderman no começo dos anos 2000 e jogava por curiosidade. Porém, uma coisa desses games que me deixava um pouco frustrado eram os momentos de “nada acontece” do jogo.

No caso, em Slenderman, havia um momento em que você não achava a página e o bicho não aparecia, então, você ficava rodando naquela floresta escura e nada acontecia. Então, você acabava pensando “ah, me mata logo”. Por sorte, Amnesia The Bunker não sobre desse mal.

Por que você será cercado de monstros e criaturas horripilantes o tempo todo? Não, isso não é Diablo IV. Aqui o medo é real e você vai tomar um susto a cada esquina que virar. Se você não é fã desse tipo de jogo, é melhor ir jogar alguma outra coisa. Mas, se você é fã de Amnesia, então vamos falar sobre o game e, se ficar com dúvidas, é só deixar nos comentários.

Especificações Técnicas

Por ser um game indie, Amnesia The Bunker não exige do seu hardware muita coisa para oferecer uma experiência assustadora. Claro, não há modo 4K ou gráficos tão avançados e realistas como alguns games triple A da atual geração, mas, não é necessário aqui, afinal, o que importa é assustar e isso o jogo faz muito bem:

Título do jogoAmnesia The Bunker
DesenvolvedoraFrictional Games
PublisherFrictional Games
GênerosTerror, Ação, Aventura, Indie
PlataformasXbox One, PlayStation 4, Xbox Series X e Series S, Xbox Cloud Gaming, Microsoft Windows
Players1
Tem coop local?Não
Tem coop online?Não
DLCsNão
Requisitos Mínimos
Sistema OperacionalWindows 7 / 8 / 10, 64-bits
ProcessadorCore i3 / AMD FX 2.4Ghz
Memória4 GB de RAM
Placa de vídeoOpenGL 4.0, Nvidia GTX 460 / AMD Radeon HD 5750 / Intel HD 630
Armazenamento35 GB de espaço disponível
Requer um Sistema Operacional 64-bits?Sim
Requisitos Recomendados
Sistema OperacionalWindows 7 / 8 / 10, 64-bits
ProcessadorCore i5 / Ryzen 5
Memória8 GB de RAM
Placa de vídeoOpenGL 4.3, Nvidia GTX 970 / AMD Radeon RX 5600 XT / Intel Xe-HPG
Requer um Sistema Operacional 64-bits?Sim

CURTIU? QUER MAIS CONTEÚDOS COMO ESSE? DEIXE SEU NOME E EMAIL E RECEBA MAIS MATÉRIAS COMO ESSA

Europa, 1914…

Em algum lugar no meio da Primeira Guerra Mundial, um soldado sozinho corre pela trincheira, com o som dos tiros zunindo sobre sua cabeça, enquanto ele procura abrigo. Enquanto percorre o campo, nosso personagem encontra alguns itens que podem ser uteis, como uma arma e algumas balas, apesar de não estar reocupado em atirar e sim em sobreviver.

Essa fase é um tutorial básico de suas ações principais no jogo como correr, atirar e recarregar sua arma. Você também chega em um ponto onde seu personagem é atingido por tiros e tem que combinar dois itens, dois pedaços de tecido, para criar um item de cura. O seu medidor de saúde é indicado pela gravidade do ferimento e a quantidade de sangue na sua mão.

Você também encontra granadas, que serão usadas para abrir seu caminho pela trincheira, para abrir seu caminho. Então, quando você chega a um ponto onde o campo de batalha está tomado por gás tóxico, alguém lhe resgata e fornece uma máscara anti-gás, para que você vá ao bunker resgatar um companheiro caído. Você entra na trincheira e encontra seu colega ferido, mas a missão dura bem pouco, pois uma bomba explode próximo a vocês e tudo escurece. Quando você acorda, é aí que o jogo começará de verdade e o medo se torna um sério problema.

Um Jogo de Esconde-Esconde

Em Amnesia The Bunker você controla um soldado chamado Henri, que quase explodiu em alguma guerra de trincheiras, ficando preso no já mencionado complexo subterrâneo chamado de “bunker”. O requisito da “amnésia” acontece com o soldado acordando em uma cama de hospital de campanha e não se lembrando de nada do que aconteceu entre a quase morte e o agora.

E quando você assume o controle e descobre que basicamente todo mundo está morto nas mãos – ou melhor, nas estranhas garras gigantes – da fera invencível que agora vive no bunker com você, é aí que o problema começa de verdade.

Amnesia the bunker
Agora você tem uma arma… não que faça muita diferença

Como antes, ele pode aparecer basicamente em qualquer lugar usando túneis nas paredes (colocados em quase todos os cômodos, apenas para dar a você aquele sentimento de paranoia padrão da série), e como antes, você deve estar ciente de quanta luz existe ao seu redor porque a criatura tem uma aversão a ele.

Você passará de 4 a 6 horas sendo perseguido pelos túneis de um bunker labiríntico, acendendo uma lanterna fraca e barulhenta e lendo anotações cada vez mais desequilibradas dos soldados franceses que foram todos comidos.

Ao contrário de antes, você tem mais algumas ferramentas à sua disposição do que correr e se esconder. Você começa com uma pistola, depois pega uma espingarda – embora as balas sejam poucas. Você pode encontrar sinalizadores e granadas, kits médicos e um recurso crítico: a gasolina, que você usa para alimentar um gerador em uma área central que se torna seu centro de missão.

O Bunker é uma espécie de Metroidvania muito focado, pois você não progride linearmente para novas áreas, mas gradualmente abre áreas cada vez mais profundas do bunker. Seu objetivo é sempre encontrar dinamite e um detonador para sair de lá, e você sempre volta para sua sala segura para encher o gerador, salvar e jogar Tetris de inventário.

Isso cria uma grande interação entre segurança e perigo, porque mesmo que você domine partes do bunker, se você não ficar de olho no relógio, as luzes podem se apagar repentinamente. As aparições do monstro também não são roteirizadas, portanto, se você decidir gastar uma quantidade meticulosa de tempo rastejando silenciosamente ou uma corrida desenfreada e barulhenta pelo lugar, tudo isso fará a diferença. O design de som funciona muito bem em conjunto com isso, já que você nunca tem certeza se o que ouviu foi o bunker, uma explosão de guerra distante ou algo vindo para arrancar a pele do seu rosto.

O Bunker também é muito mais imersivo de uma forma que é muito nova depois de Rebirth. Não há HUD real, não há um mapa que você possa abrir sempre que quiser e ver o layout do bunker, algo que seria extremamente útil. Para descobrir como resolver os quebra-cabeças, basta prestar atenção: há uma chave duplicada no beliche do soldado X; para ter o mecanismo quando precisar, você deve abrir o armário do soldado Y; para abrir esta porta, você precisa de um alicate de corte.

Mesmo as fotografias que você pega podem lhe dar pistas sobre o que está acontecendo se você olhar bem de perto para elas. Você pode interagir com o ambiente muito mais do que nos jogos Amnesia anteriores, movendo caixas e itens para encontrar diferentes maneiras de progredir. Perto do início, o jogo diz a você que “se você acha que algo parece possível, provavelmente é”. E aí, no final das contas, acaba sendo mesmo.

Contudo, dependendo do que você faz, pode ser potencialmente perigoso, porque o som atrai o monstro (uma besta de carne desmedida que se parece com alguém que parou no meio do caminho para se transformar em um lobisomem). Você tem uma lanterna de corda que faz muito barulho, mas permitirá que você veja o que está acontecendo, e você também pode preparar armadilhas rudimentares colocando carne ao lado de um barril explosivo, por exemplo.

Amnesia the bunker
Acho que só uma granada não vai dar…

Ler e usar um item é um processo metódico e lento; portanto, se você não planeja os piores cenários, fugir antes que a criatura o veja costuma ser sua melhor aposta. Isso se torna mais frenético quanto mais longe do seu quarto seguro você está, e é fácil se perder no escuro – além disso, há também uma raça de ratos carnívoros gigantes, para te dar algum trabalho e fazer você gastar algumas balas.

Ação Contida

A desvantagem de Amnesia The Bunker é que falta a grandeza dos jogos Amnesia anteriores. The Dark Descent, embora tenha cerca de uns 10 ou 12 anos e já mostra os “sinais da idade”, foi ambientado em um lindo castelo cujos níveis variavam de minas apertadas a altos salões de pedra. Rebirth, de 2020, estava cheio de paisagens misteriosas e estranhas. Mas, The Bunker é implacavelmente pequeno e feio.

Amnesia the bunker
Vou por outro caminho

Isso torna The Bunker muito menos divertido esteticamente, mas se encaixa no cenário, assim como a narrativa do jogo. Até agora, a maioria das histórias de Frictional tratava de escolhas grandiosas: destruir uma estranha raça alienígena na série Penumbra, fazer sacrifícios humanos a deuses hediondos em The Dark Descent and Rebirth.

Agora, a ação contida de The Bunker, em que te deixa em um labirinto fechado e um tanto repetitivo, pode ser algo que te envolva ou te canse.

Essa sensação de ser perseguido é tão enervante, especialmente em primeira pessoa através de um corredor escuro como breu enquanto rosnados desumanos se aproximam de você. Com tanta frequência, você mal conseguirá voltar para a sala segura com tempo suficiente para bater a porta e trancá-la atrás de você. É intenso e cada vez que sobrevive, você sente seu corpo relaxar enquanto a frequência cardíaca volta lentamente ao normal. É essa a sua praia? Então vale a pena experimentar.

Para Jogar com Fones

O elemento que une tudo isso é o incrível design de áudio do jogo. Em um espaço tão solitário e assombrado como o bunker abandonado da Primeira Guerra, Amnesia The Bunker é a experiência exclusiva de jogar com fones de ouvido. Cada passo ecoa de tal forma que parece uma traição. Sua lanterna parece um motor daqueles que você deve consertar em Dead By Daylight.

Às vezes, o monstro pode respirar do outro lado de uma parede enquanto você passa por um grupo de ratos, esperando que eles não o mordam. Mesmo o acionamento da lanterna reverbera pelas paredes da virada do século, o que pode ser o suficiente para denunciá-lo se a criatura estiver por perto. É tudo tão atmosférico que, mesmo que você não esteja consumindo os detalhes leves da história, você será puxado para o mundo da mesma forma.

Afinal, é Bom ou Não?

Amnesia The Bunker é, definitivamente, um bom jogo para os amantes do terror e de quem curte tomar uns sustos, mas, não chega a ser tão apavorante quanto alguns de seus antecessores, como o Machine for Pigs, por exemplo. Enquanto The Bunker, até por se passar em um contexto de guerra, permite que você enfrente os seus inimigos.

Também não há aquela ação claustrofóbica do Amnesia original, onde o protagonista começava a respirar com dificuldades e ter a visão turva pelo medo. Aqui, você está em um eterno jogo de gato e rato e você é o rato! Carra pelos labirintos, resolva enigmas, leia diários e anotações e volte o mais rápido e silencioso possível para o seu “bunker” de segurança.

Se você é um fã do gênero, deve experimentar jogar esse novo jogo da franquia Amnesia e, se achar legal, revisitar os anteriores. Contudo, não espere por gráficos de última geração e visuais sofisticados dos consoles mais modernos, afinal, por melhor que seja, ainda é um game indie e tem suas limitações. Se você não está aqui por isso, vá em frente. Apague a luz, coloque seus fones e boa sorte. Eu, particularmente, vou jogar um pouco de jogos de My Little Poney para poder voltar a dormir a noite.

Onde comprar?

Epic GamesR$ 73,99
SteamR$ 73,99
XboxR$ 92,43
PlayStationR$ 133,90

Amnesia The Bunker

Paulo “Doido” Fabris

Gráficos
Jogabilidade
Música
Diversão

Ficha Técnica

Desenvolvedor: Frictional Games
Publisher: Frictional Games
Plataformas:
Xbox One, PlayStation 4, Xbox Series X e Series S, Xbox Cloud Gaming, Microsoft Windows
Gênero: Terror, Ação, Aventura, Indie

Prós
Sustos legítimos, sem truques comuns;
Música envolvente que te coloca no clima certo;
Novidades no gameplay, como um sistema de crafting;

Contras
Não tão assustador quanto os outros da série;
Cenário repetitivo;

4

FAQ Rápido

Amnesia The Bunker é uma continuação?

Amnesia: The Bunker é o quarto game da série Amnesia da Frictional Games. Foi anunciado pela primeira vez em 1º de dezembro de 2022 e lançado em 6 de junho de 2023.

Os jogos Amnesia estão conectados?

Sim. Como uma sequência direta de Dark Descent, Amnesia: Rebirth segue literalmente os passos da expedição de 1839 que levou aos eventos do jogo anterior, contando uma história única e linear.

Qual será a duração de Amnesia: The Bunker?

Conforme observado por HowLongToBeat.com, o jogador médio leva cerca de 4,5 horas para completar a história principal de Amnesia: The Bunker, podendo demorar um pouco mais ou um pouco menos, dependendo da forma que você joga.

A série Amnesia tem muitos jumpscares?

Amnesia é muito bom em assustar os jogadores, mas seus sustos não são os típicos que você imagina – não há truques simples envolvidos nos sustos, apenas o jogo aumentando a tensão e liberando-os no momento certo.

Agora, fale conosco e diga se você curtiu as novidades e aproveite para ler mais notícias, como sobre nosso Review de Scorn, no nosso site.

Veja o que você pode aprender fazendo um curso de modelagem no Blender
Saiba mais sobre Design de Personagens para Jogos
Veja as principais Técnicas de Pixel Art que você precisa aprender para criar jogos incríveis
Saiba mais sobre a Criação de Sistemas de Partículas em Jogos
Conheça as melhores mais práticas ferramentas de IA para Desenvolvimento de Jogos
Saiba como fazer uma Campanhas de Sucesso para Jogos